19 de abril de 2024 - 19:26

Cidades

19/02/2024 09:50

Procon Estadual analisou cerca de 11 mil demandas de consumidores e fornecedores em 2023

Setor de Conciliação e Turma Recursal é responsável por emitir decisões, despachos e pareceres e julgar os processos, tendo por base as regras do CDC

A Coordenação de Conciliação e Turma Recursal da Secretaria Adjunta de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon-MT), vinculada à Secretaria de Assistência Social e Cidadania (Setasc), realizou 10.689 análises de demandas, emissão de despachos, decisões e de recursos de fornecedores, entre outros estudos e pareceres, ao longo de 2023.
A secretária adjunta do Procon Estadual, Márcia Santos, explica que, entre outras atribuições, o setor é responsável por processar e julgar os processos instaurados no Procon. 
“A Coordenação realiza, também, audiências de conciliação e presta orientação jurídica para consumidores e fornecedores sobre como proceder nas relações de consumo, tendo por base as regras do Código de Defesa do Consumidor e demais legislações consumeristas”, detalha. 
De acordo com a secretária adjunta, durante o ano de 2023, os conciliadores de defesa do consumidor realizaram 332 audiências conciliatórias entre consumidores e fornecedores, para tentar um acordo e resolver processos que estão tramitando no órgão. 
Foram instaurados, também, 1.413 processos administrativos sancionadores e aplicadas 52 sanções administrativas. O setor realizou, ainda, quatro sessões de julgamento de Turma Recursal, o que resultou em 188 processos julgados. 
Outro dado importante, enfatiza o coordenador de Conciliação e Turma Recursal em substituição, Rafael Vasconcellos, é o total das multas aplicadas a fornecedores por infrações à legislação consumerista, que soma mais de R$ 31 milhões. Esse total é oriundo de análise de recursos de fornecedores em processos que estão tramitando no Procon e de sanções administrativas aplicadas por infrações à legislação consumerista. 
Entre os recursos julgados em 2023 estão processos contra bancos e instituições financeiras, concessionárias de serviços essenciais, postos de combustíveis, comércio de alimentos e varejistas em geral, entre outros setores, informa o coordenador. 
Rafael assinala que a intenção do Procon não é aplicar sanção. “Isso ocorre quando o fornecedor descumpre a legislação. O ideal seria o fornecedor resolver diretamente com o consumidor antes mesmo deste procurar os órgãos de defesa do consumidor”, salienta. 
 
Conciliação em números
Análise preliminar de demanda
com emissão de despacho
2.465 
Análise e emissão de
decisão de cadastro
8.000 
Análise dos recursos interpostos pelos fornecedores com emissão de voto  224 (totalizando R$21.490.782,57)
Audiências conciliatórias
realizadas
332 
Decisão Administrativa em
Medida Cautelar
 24 
Instauração de processo administrativo sancionador 1.413 
Sanção administrativa
com aplicação de multa
52 (totalizando R$ 9.594.438,72)

Plantão

(65) 99288-0115