09 de dezembro de 2019 - 19:05

Social

Taxistas fazem protesto contra o Uber em Cuiabá e anunciam 'tarifa solidária'

Cerca de 100 taxistas fizeram um protesto, nesta quinta-feira (15), contra a implantação do serviço de transporte particular da Uber, em Cuiabá, e a favor do Projeto de Lei 5587/2016, que proíbe a implantação do Uber no Brasil. Eles se concentraram na Avenida Agrícola Paes de Barros, no Bairro Verdão, em frente ao Ginásio Aecim Tocantins, e saíram em carreata até o Centro Político Administrativo.O ato prejudicou o trânsito. Segundo a Secretaria de Mobilidade Urbana de Cuiabá (Semob), durante a manifestação, os taxistas trancaram temporariamente o trecho entre a Avenida Getúlio Vargas e a Tenente Coronel Duarte (Prainha), no Centro de Cuiabá. Outros trechos também foram bloqueados ao longo do trajeto até a Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), onde eles ficaram um tempo parados e depois encerraram o protesto.

O presidente da Associação Mato-grossense dos Taxistas, Abel Arruda, afirmou que a concorrência entre os taxistas e os motoristas da Uber é desleal e que as corridas caíram 40% após a implantação desse novo sistema no município. "Nós precisamos sobreviver, precisamos pagar as nossas contas e no momento não estamos pagando nada", disse.

'Tarifa solidária'
Como alternativa para concorrer com os outros meios de transporte, Abel anunciou que os táxis irão operar com uma tarifa mais baixa, às segundas e terças-feiras. "Então, nesses dois dias estaremos competindo com os ônibus. Vamos provar para o Uber que não estamos brigando por dinheiro, então qualquer pessoa, que estiver no ponto de ônibus, acenar para o táxi, nós iremos cobrar essa taxa", pontuou.

A tarifa solidária, como ele classifica, custará R$ 5 por pessoa e vai vigorar nos táxis que percorrem os mesmos trajetos que os ônibus coletivos, em Cuiabá. "Iremos mostrar à sociedade que queremos trabalhar', declarou. A previsão que já passe a valer na próxima segunda-feira (19).

A capital tem 604 permissões para o serviço de táxi e 1.800 taxistas.

Táxis ficaram parados em frente à Assembleia Legislativa (Foto: Julino Neto/ Arquivo pessoal)
Táxis ficaram parados em frente à Assembleia Legislativa (Foto: Julino Neto/ Arquivo pessoal)

Ele ainda defende uma medida para a regulamentação dos aplicativos de celular para o serviço de transporte. "A PL já prevê isso, mas como a votação dela foi prorrogada para março, nós estamos adiantando no município, por meio da Câmara de Vereadores de Cuiabá, para a regulamentação", afirmou.

"A Uber está recrutando motoristas para fazer o serviço para ela. Ela seria a facilitadora entre o usuário e quem atendesse o transporte, mas ela está cadastrando os veículos, que não podem atuar no sistema do táxi", disse.

Uber em Cuiabá
O sistema passou a funcionar em Cuiabá no dia 25 de novembro. o serviço inicialmente disponível na capital será o Uber X, categoria que tem tarifas mais baixas e carros, fabricados a partir de 2008, com quatro portas e ar-condicionado.

Em Cuiabá, a tarifa de base, que se refere ao custo da chamada, é de R$ 2,50. A esse valor é acrescido o custo por quilômetro rodado, que é de R$ 1,20, e por minuto de viagem, que é de R$ 0,15. O valor mínimo da corrida, na capital, será de R$ 5. Esse também é o preço a ser pago em caso de cancelamento do pedido do veículo, após cinco minutos da chamada.

A tarifa da viagem é calculada com base na distância e no tempo levado para o deslocamento. Segundo a empresa, o preço cobrado em cada cidade é diferente.

Eles fizeram uma carreata na tarde desta quinta-feira (15) (Foto: Amanda Almeida/ G1)

"É ciumenta e tem pavio curto", diz Safadão sobre esposa

Todo mundo adora ouvir Wesley Safadão cantando músicas de amor, né? Aí bate aquela curiosidade: como será a vida amorosa dele? Nos bastidores do Caldeirão do Huck, o cantor respondeu o Quiz Romântico do Gshow e falou um pouco sobre as dores e delícias (mais delícias, claro!) do seu casamento com a modelo Thyane Dantas. Quer saber de tudo? Confira o vídeo!

Gshow: Quem é o mais romântico da relação?

Wesley Safadão: Acho que sou eu.

Gshow: Quem é o mais ciumento?

WS: Ela é ciumenta para caramba!

Gshow: Quais são as maiores qualidades e defeitos dos dois?

WS: A qualidade dos dois é o companheirismo. A gente está sempre perto, junto. Não vou falar defeito meu. O dela talvez seja pavio curto, explode rápido.

 Thyane e Wesley com as crianças, Yhudi e Ysis (Foto: Arquivo pessoal)

Thyane e Wesley com as crianças, Yhudi e Ysis (Foto: Arquivo pessoal)

Gshow: Na hora de cuidar das crianças, quem é o mais rígido? [Wesley e Thyane são pais de Ysis, de 2 anos. O cantor também é pai de Yhudy, de 5 anos, fruto de seu primeiro casamento]

WS: Com toda a certeza, ela. É mais firme.

Gshow: Quando vem mais neném?

WS: Próximo ano, talvez.


Enem será adiado para 240 mil candidatos por causa de ocupações de escolas

Mariana Tokarnia - Repórter da Agência Brasil

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) será adiado em 364 locais de prova, o que atingirá 240.304 candidatos. O número foi atualizado hoje (4) pelo Ministério da Educação (MEC) em coletiva de imprensa. A lista com os locais em que a prova será cancelada neste final de semana (5 e 6), estará disponível na internet, no site do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

A lista foi ampliada para incluir locais que foram ocupados após a divulgação da primeira lista pelo Inep, na última terça-feira (1º). Esses estudantes farão as provas nos dias 3 e 4 de dezembro e serão informados do adiamento por SMS.

O MEC também corrigiu a lista de locais ocupados e dez escolas que haviam sido dadas como ocupadas terão prova neste fim de semana. Serão 8.186 candidatos que devem comparecer para fazer o Enem nos dias 5 e 6.

O MEC estabeleceu o prazo para a desocupação até as 23h59 dessa segunda-feira (31). Mesmo que os locais tenham sido desocupados depois desse prazo, o Enem será remarcado. Segundo o Inep, para a nova data, serão definidos novos locais de prova.

A prova aplicada em dezembro, de acordo com o Inep, terá o mesmo modelo e nível de dificuldade do Enem deste fim de semana, mas com questões diferentes.

Ocupações

As ocupações ocorrem em diversos estados do país. Estudantes do ensino médio, superior e educação profissional têm buscado pressionar o governo por meio de ocupações de escolas, universidades, institutos federais e outros locais. Não há um balanço nacional oficial. Segundo a União Nacional dos Estudantes (UNE), até ontem, 134 campi universitários e mais de 1 mil escolas e institutos federais estavam ocupados.

Os estudantes são contra a proposta de emenda à Constituição (PEC) que limita os gastos do governo federal pelos próximos 20 anos, a chamada PEC do Teto. Estudos mostram que a medida pode reduzir os repasses para a área de educação, que, limitados por um teto geral, resultarão na necessidade de retirada de recursos de outras áreas para investimento no ensino. O governo defende a medida como um ajuste necessário em meio à crise que o país enfrenta e diz que educação e saúde não serão prejudicadas.

Os estudantes também são contrários à reforma do ensino médio, proposta pela Medida Provisória (MP) 746/2016, enviada ao Congresso. Para o governo, a proposta vai acelerar a reformulação da etapa de ensino que concentra mais reprovações e abandono de estudantes. Os alunos argumentam que a reforma deve ser debatida amplamente antes de ser implantada por MP.

Local de prova

Os candidatos do Enem podem acessar o local de prova na internet ou pelo aplicativo do Enem. Além do local, data e horário de prova, o cartão de confirmação traz o número de inscrição do estudante, a opção de língua estrangeira e, quando for o caso, a indicação de atendimento especializado e específico e a solicitação de certificação do ensino médio.

O cartão de confirmação está disponível pela internet, na Página do Participante, e também no aplicativo do Enem, nas plataformas Android, iOS e Windows Phone. De acordo com o Inep, responsável pelo exame, 5,2 milhões do total de mais de 8,6 milhões de candidatos já sabem onde farão as provas. O número equivale a mais de 60% dos candidatos.

Para lembrar os estudantes, o Inep fez uma campanha de alerta, enviando SMS e e-mail a cada três dias para quem ainda não acessou o cartão. No dia da prova, não é obrigatória a apresentação do cartão. O acesso é de responsabilidade do candidato. A recomendação é que os participantes conheçam o trajeto para o local de prova com antecedência para evitar atrasos no dia do exame.


Greve dos bancários completa 4 semanas; adesão é de 56%

A greve dos bancários completou quatro semanas nesta terça-feira (4), com 13.245 agências e 29 centros administrativos fechados, segundo balanço da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT). 

Segundo o sindicato, o número representa uma adesão de 56% da categoria.

Veja a situação em cada estado

Alagoas
Segundo o sindicato dos bancários, mais de 90% das agências estão fechadas em todo o estado.

Amapá
No Amapá, cerca de 650 trabalhadores aderiram à paralisação, correspondendo a aproximadamente 70% dos bancários, informou o Sindicato dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Sintraf). No total, 28 agências paralisaram as atividades.

Amazonas
Apenas quatro bancos privados estão funcionando com atendimento aos clientes em Manaus.Todos os bancos públicos estão com as atividades suspensas.

Bahia
A greve fechou mais de 1 mil das 1.232 agências da Bahia. O dado foi divulgado pelo Sindicato dos Bancários do Estado, que calcula adesão de mais de 80% das unidades.

 

Cartazes de greve colocados em agência bancária em São Paulo. (Foto: REUTERS/Fernando Donasci)Cartazes de greve colocados em agência bancária em São Paulo. (Foto: REUTERS/Fernando Donasci)

A greve dos bancários completou quatro semanas nesta terça-feira (4), com 13.245 agências e 29 centros administrativos fechados, segundo balanço da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT). 

Segundo o sindicato, o número representa uma adesão de 56% da categoria.

Veja a situação em cada estado

Alagoas
Segundo o sindicato dos bancários, mais de 90% das agências estão fechadas em todo o estado.

Amapá
No Amapá, cerca de 650 trabalhadores aderiram à paralisação, correspondendo a aproximadamente 70% dos bancários, informou o Sindicato dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Sintraf). No total, 28 agências paralisaram as atividades.

Amazonas
Apenas quatro bancos privados estão funcionando com atendimento aos clientes em Manaus.Todos os bancos públicos estão com as atividades suspensas.

Bahia
A greve fechou mais de 1 mil das 1.232 agências da Bahia. O dado foi divulgado pelo Sindicato dos Bancários do Estado, que calcula adesão de mais de 80% das unidades.

 Ceará

Nesta segunda-feira (3), 432 das 562 agências do Ceará permaneceram fechadas. A adesão, de 76,8% no estado, é a maior registrada desde o início da greve, segundo o Sindicato dos Bancários do Ceará.

Goiás
O Sindicato dos Bancários do Estado de Goiás calcula que a adesão chega a 75% nas unidadesda rede pública e a quase 100% na rede particular.

Mato Grosso
Conforme o Seeb-MT, em Mato Grosso, a greve tem adesão em mais de 270 agências em 100 cidades. Os bancários garantem que deixam 30% do efetivo trabalhando, no entanto, serviços de atendimento ao público não estão sendo feitos.

Mato Grosso do Sul
A greve completa quatro semanas com 95% das agências fechadas, segundo informou o Sindicato dos Bancários de Campo Grande e região. Das 160 agências, 152 estão sem atendimento ao público.

Maranhão
A greve dos bancários no Maranhão continua, segundo Sindicato dos Bancários (SEEB-MA). Uma assembleia com o comando de greve está marcada para esta terça-feira (4).

Minas Gerais
A greve dos bancários atinge 71% das agências em Belo Horizonte e outras 54 cidades de Minas Gerais, de acordo com a representação dos trabalhadores nas localidades. Ultimo balanço divulgado pelo Sindicato dos Bancários de BH e Região informa que 533 das 753 agências estavam fechadas até esta segunda-feira (3).

No norte do estado, Segundo presidente do Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários de Montes Claros e região, o sindicato compreende profissionais de 124 agências, sendo que 81 estão com os serviços paralisados.

No Triângulo Mineiro, 52 agências em Uberlândia estão completamente paralisadas, o que corresponde a 70%, segundo o Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários de Uberlândia e Região (Seeb). Em Uberaba, 16 agências, entre Santander, Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil, estão fechadas, conforme o Sindicato dos Bancários de Uberaba.

Pará
Em Santarém, oeste do Pará todas as 14 agências bancárias aderiram ao movimento naciona.

Paraíba
Na segunda-feira (3) a Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Paraíba (OAB-PB) firmou um acordo com o Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários do Estado da Paraíba (SEEB-PB) para que os alvarás judiciais sejam pagos.

No dia 20 de setembro, a justiça do trabalho de Campina Grande já tinha concedido uma liminarque obriga agências do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal da cidade a cumprirem pagamentos por meio de ordem judicial.

Paraná
Em todo o estado, 75% das agências bancárias permanecem fechadas, além de nove centros administrativos. A paralisação também abrange cinco financeiras. A greve não prejudicou o atendimento nos caixas eletrônicos das agências, mas aumentou o atendimento nas casas lotéricas em mais de 40%, segundo o Sindicato dos Empresários Lotéricos do Paraná (Sinlopar).

 Pernambuco

De acordo com o sindicato em Pernambuco, das 625 agências existentes no estado, pelo menos 562, ou seja, 90% estão fechadas por causa da paralisação. No dia 16 de setembro, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em Pernambuco conseguiu na Justiça uma liminar determinando que 30% das agências voltem a funcionar, no mínimo, duas horas por dia. Em resposta, o sindicato informou que caberia aos bancos cumprir a liminar, mobilizando os funcionários que não aderiram à greve.

No Agreste de Pernambuco, a greve dos bancários afeta mais de 75% das agências de Caruaru. A informação é do Sindicado dos Bancários do município.

Piauí
Segundo o Sindicato dos Bancários do Piauí, o movimento já tem adesão de quase 90% das agências em todo o estado.

Rio de Janeiro
A greve dos bancários chega à 4ª semana no Rio com mais de 400 agências fechadas. Segundo o sindicato dos bancários, mais de 39% das agências não estão operando. A paralisação atinge várias regiões, deixando pelo menos 435 agências com as portas fechadas no Centro, Glória, Campo Grande, Pavuna, Rio Comprido e Copacabana, além de seis prédios administrativos.

Rio Grande do Norte
De acordo com Gilberto Monteiro, coordenador geral do sindicato dos bancários do estado, foram realizadas assembleias em todo o Brasil na noite desta segunda (3), menos no Rio Grande do Norte por causa do feriado estadual em homenagem aos mártires de Cunhaú e Uruaçú. Em Natal, muitas pessoas encontram dificuldades para sacar dinheiro nos caixas eletrônicos. Algumas agências disponibilizam dinheiro em um número reduzido de máquinas.

 Rio Grande do Sul

De acordo com o Sindicato dos Bancários, 1.042 agências estão fechadas em todo o Rio Grande do Sul. O sindicato diz que planeja fortalecer a mobilização em busca de uma melhor proposta dos bancos após reunião realizada com o comando nacional na segunda-feira (3).

Santa Catarina
Em Santa Catarina, as maiores adesões continuam na Grande Florianópolis, onde 2 mil estão em greve, e na região Norte, com 800 adesões. Na Grande Florianópolis, dos cerca de 4 mil trabalhadores que atuam na região, ao menos 2 mil estão em greve.

 São Paulo

Na segunda-feira (3), 347 locais de trabalho estavam fechados, sendo 172 em Campinas (área central e 20 bairros) e 175 em 35 das 36 cidades que fazem parte da base do sindicato. Na sexta-feira (30) havia  348 locais de trabalho fechados (173 em Campinas; 175 na região).

As agências da área de atuação do Sindicato dos Bancários de Mogi das Cruzes e região(que inclui Suzano, Poá, Biritiba Mirim e Salesópolis) estão fechadas, segundo o presidente da entidade, Francisco Cândido.

De acordo com o Sindicato dos Bancários de Sorocaba e Região, em Itapetininga, 12 agências e postos de atendimentos seguem com a paralisação. Já em Avaré (SP), todos os 10 bancos permanecem sem realizar os serviços.

Ainda de acordo com o sindicato da categoria, 58 agências estão fechadas em Jundiaí e 107 na região. Já em Sorocaba, o sindicato autorizou na sexta-feira (30) o atendimento parcial de cinco agências localizadas nos bairros Wanel Ville, Campolim, Cerrado e Jardim Santa Cecília. No entanto, mais de 200 unidades continuam fechadas.

Em São José dos Campos, a adesão é de 97% segundo o último balanço do Sindicato dos Bancários feito nesta segunda. Das 184 agências da base, 180 estão fechadas. Já em Taubaté, o últmo balanço do sindicato aponta que todas as 86 agências estavam fechadas.

Em Bragança Paulista a adesão à greve é de 87%. A entidade informou que das 54 agências da base, 47 estão fechadas. A base em Guaratinguetá mantém adesão de 83% com 53 das 61 agências da região fechadas. De acordo com o sindicato, 629 bancários aderiram ao movimento.

A greve foi ampliada nas cidades da Baixada Santista, no litoral de São Paulo. De acordo com Sindicato dos Bancários de Santos e Região (SEEB Santos), mais de 95% das agências bancárias da região estão fechadas.

Em São Carlos, cerca de 300 bancários da região de São Carlos aderiram à greve. Pelo menos 22 agências da cidade estão fechadas. Em Araraquara, 33 delas interromperam o atendimento, afirmou Lauriberto Viganon, presidente do Sindicato dos Bancários de São Carlos e região.

Rondônia
A paralisação tem provocado fila nos caixas eletrônicos de Porto Velho. Segundo o presidente do Sindicado dos Bancários e Trabalhadores do Ramo Financeiro de Rondônia (Seeb-RO), José Pinheiro, o número de adesão à greve deve aumentar.

Tocantins
De um total de 158 agências no estado, apenas 16 estão abertas, as demais aderiram à greve, tendo apenas os serviços eletrônicos funcionando.

Balanço
O maior número de agências fechadas foi registrado no dia 27 de setembro, quando 13.449 delas tiveram suas atividades paralisadas. De acordo com o Banco Central, o país tem 22.676 agências bancárias instaladas, segundo último balanço.

Até o momento, nenhuma nova rodada de negociação foi agendada para a semana.

Na quarta-feira passada, os bancários se reuniram com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), mas o encontro terminou sem acordo, e os grevistas decidiram manter a paralisação.

A greve já é mais longa do que a realizada pelos bancários no ano passado, que durou 21 dias. Segundo a Contraf-CUT, a greve mais longa da categoria na história foi em 1951 e durou 69 dias. Nos últimos anos, a mais longa foi a de 2004, com 30 dias.

Veja como pagar contas durante a greve dos bancários

Negociações
A Fenaban (que representa os bancos) ampliou na quarta-feira (28) a oferta de abono para R$ 3,5 mil, com mais 7% de reajuste, extensivo aos benefícios. Também propôs que a convenção coletiva dure dois anos, com garantia, para 2017, de reajuste pela inflação acumulada e mais 0,5% de aumento real.

 
Segundo a Fenabam, a proposta "garante aumento real para os rendimentos da grande maioria dos bancários e é apresentada como uma fórmula de transição, de um período de inflação alta para patamares bem mais baixos".

A proposta, no entanto, foi recusada. A categoria já havia rejeitado a primeira proposta da Fenaban - de reajuste de 6,5% sobre os salários, a PLR e os auxílios refeição, alimentação, creche, e abono de R$ 3 mil. A proposta seguinte, também rejeitada, foi de reajuste de 7% no salário, PLR e nos auxílios refeição, alimentação, creche, além de abono de R$ 3,3 mil.

Os bancários querem reposição da inflação do período mais 5% de aumento real, valorização do piso salarial - no valor do salário mínimo calculado pelo Dieese (R$ 3.940,24 em junho) -, PLR de três salários mais R$ 8.317,90, além de outras reivindicações, como melhores condições de trabalho.

Atendimento
A Federação Brasileira de Bancos (Febraban) lembra que os clientes podem usar os caixas eletrônicos para agendamento e pagamento de contas (desde que não vencidas), saques, depósitos, emissão de folhas de cheques, transferências e saques de benefícios sociais.

Nos correspondentes bancários (postos dos Correios, casas lotéricas e supermercados), é possível também pagar contas e faturas de concessionárias de serviços públicos, sacar dinheiro e benefícios e fazer depósitos, entre outros serviços.

Greve passada
A última paralisação dos bancários ocorreu em outubro do ano passado e teve duração de 21 dias, com agências de bancos públicos e privados fechadas em 24 estados e do Distrito Federal. Na ocasião, a Fenaban propôs reajuste de 10%, em resposta à reivindicação de 16% da categoria.


Prefeitura organiza campanha para combater abuso e exploração de crianças

A Prefeitura de Cuiabá está nos preparativos finais da quinta edição da campanha “Faça Bonito – Proteja nossas crianças e adolescentes”, promovida a fim de combater o abuso e a exploração infanto-juvenil. A ação acontece como forma de celebrar o Dia Nacional de Luta Contra o Abuso e Exploração de Criança e Adolescentes, comemorado no dia 18 de maio.

Coordenada pela Secretaria de Assistência Social e Desenvolvimento Humano, a campanha tem o objetivo de chamar a atenção da sociedade para o trabalho infantil e convocá-la a assumir a responsabilidade de prevenir e enfrentar o problema da violência sexual praticada contra menores.

“O enfrentamento à exploração sexual é uma obrigação de toda a sociedade. Estamos mais uma vez nos mobilizando para que a sociedade desperte para o assunto. Essa mazela social compromete o futuro das crianças que são vítimas desse crime”, disse o secretário de Assistência Social, José Rodrigues Rocha Júnior.

No dia 16 de maio, haverá uma mobilização de cidadania para marcar o lançamento da campanha, que acontecerá no auditório da Secretaria de Assistência Social. Além disso, serão promovidas, durante todo o mês, atividades com os usuários das unidades de assistência e seus familiares, de modo a conscientizar sobre a necessidade de combater os crimes contra criança.

Eles devem receber um panfleto com orientações sobre erotização precoce, pedofilia, os perigos que podem surgir por meio da internet, bem como o que os pais devem fazer para prevenir o abuso sexual. Além disso, estão disponíveis os contatos dos seis Conselhos Tutelares de Cuiabá, o Disque 100 e o telefone 3653-5763, da secretaria de Assistência Social , para que sejam realizadas denúncias desses crimes.

Em caso de denuncia, a Assistência Social atua junto aos Conselhos Tutelares para retirar a criança vítima do ambiente de violência. Atualmente, a Assistência Social oferece a essas crianças abrigamento na Casa da Criança Cuiabana I e II e na casa Nosso Lar, que são as primeiras unidades na modalidade "Casa-Lar", construídas para abrigar crianças e adolescentes de 0 a 18 anos que, por determinação da Justiça, foram retiradas do convívio familiar devido a maus tratos, abandono, negligência, violência doméstica ou abuso sexual.

A previsão é de que outras secretarias municipais, o Estado, a Defensoria Pública e a Justiça atuem em conjunto na campanha.


Paulo Henrique Ganso faz festa de aniversário para o filho

Paulo Henrique Ganso celebra o aniversário de um aninho de Henrico em uma mini fazendinha

O jogador de futebol Paulo Henrique Ganso comemorou em grande estilo o primeiro aniversário de seu filho, Henrico. A celebração teve o tema da Galinha Pintadinha e aconteceu na Casa Petra, em São Paulo.

A festa contou com uma mini fazenda para a diversão das crianças com direito a pôneis. Além disso, teve cama elástica e piscina de bolinhas.


César Filho e os filhos prestigiam esculturas inspiradas em Elaine Mickely

A exposição “Musas Esculturais da Primavera”, do artista Roberto Camasmie, reuniu esculturas com faces femininas envolvidas por flores

O artista plástico Roberto Camasmie comemorou seus 50 anos de carreira com a exposição “Musas Esculturais da Primavera”. A mostra acontece no Espaço Roberto Camasmie, em São Paulo, e conta com 17 peças exclusivas com faces femininas envoltas por flores. 

Uma das musas que inspirou o artista foi a atriz Elaine Mickely. O marido e apresentadorCésar Filho levou os filhos, Luma e Luigi, para prestigiar a amada. Daniela Albuquerque eEllen Rocche também foram homenageadas.

Outra estrela que esteve no local para visitar a exposição foi a cantora Roberta Miranda, que chegou até a dar uma "palhinha" no violino. 


Luana Piovani posa amamentando o filho e fala sobre 'enclausuramento' domiciliar pós parto

A atriz comentou sobre a importância do aleitamento materno e o período de reclusão dentro de casa

Luana Piovani posou amamentando Bem -- um dos filhos gêmeos recém-nascidos -- nesta quarta-feira, 23, e falou sobre a importância do aleitamento materno.

"Amamente! Ato de amor. Amamentar é preciso. Amor de mãe. Bemzuco. Bom dia! Bem vinda, primavera", escreveu a atriz em sua conta no Instagram.

A mulher de Pedro Scooby também mostrou seu look do dia e falou sobre o período em que está reclusa dentro de casa cuidando dos filhos. "Olha aí o modelito de hoje. 'Bunitim', vai. Não dá pra ficar maltrapilha, cheirando azedo, além de estar exausta. Um bom corretivo, protetor de lábios, uma roupinha digna, colorida faz desse enclausuramento um filme. Gratidão. A família está completa. Vida filme", contou ela. 


Giovanna Antonelli comemora nova parceria com Alexandre Nero

No ar em 'A Regra do Jogo', Giovanna Antonelli e Alexandre Nero comemoraram novo encontro nas telas após a novela 'Salve Jorge'

Juntos na novela A Regra do JogoGiovanna Antonelli comemorou o reencontro televisivo com Alexandre Nero, com quem atuou em Salve Jorge.

"Salve Jorge foi uma grata surpresa pra nós dois. A gente podia brincar bastante com os personagens. E, do nosso jeito, fomos construindo uma parceria que deu supercerto. Quando soube que ia fazer essa novela com o Nero, foi o maior presente. Porque a gente já sabia que iria ter diversão acima de tudo", disse a atriz ao 'GShow'.

Nero também elogiou à amiga: "O que me chama mais a atenção na Giovanna é a potência que ela tem. Ela tem um carisma arrebatador. Não conheço ninguém que não adore estar perto dela".


Joalheria Hueb abre as portas de sua primeira flagship no Brasil

Jóias da coleção Secret Garden, da Hueb Créditos: Divulgação

A joalheria brasileira Hueb, fundada nos anos 70 pela matriarca Fádua Hueb e hoje uma empresa familiar gerenciada por três gerações do clã, fez o caminho inverso da maioria das marcas. Primeiro conquistou o mercado internacional para depois, já consolidada, aterrissar em seu país de origem.

Com lojas na Madson Avenue, em Nova York, e outros sete pontos de venda na Ásia – entre Dubai, Abu Dhabi e Doha -, a primeira flagship da marca no Brasil finalmente abrirá as portas. O local escolhido? O Shopping Cidade Jardim, em São Paulo.

Durante a abertura, o espaço vai exibir uma exposição de fotos com Mariana Cassou, Luiza Ortiz, Juliana Santos, Amanda Gontijo e Diana Krepinsky usando as peças-desejo da marca. 


Copyright  - MT HOJE  - Todos os direitos reservados