27 de junho de 2022 - 09:37

Cultura

Flip deste ano será realizada entre 23 e 27 de novembro

Festa literária volta com programação presencial

Os organizadores da Festa Literária de Paraty (Flip) anunciaram hoje (4) que a edição deste ano será realizada de 23 a 27 de novembro. Em seu site e nas redes sociais, a Flip informou que celebrará sua 20a edição retornando às ruas e praças de Paraty, em um evento presencial, depois de duas edições virtuais, devido à pandemia da covid-19.

No entanto, os organizadores ainda não divulgaram os nomes dos convidados, nem o tema da edição deste ano.

“A Flip celebra sua 20ª edição retomando às ruas e praças de Paraty. A Festa já tem data para acontecer: de 23 a 27 de novembro de 2022. Nos dois anos anteriores, frente às dificuldades e urgências impostas pela Covid-19, a Flip precisou se reinventar. Se, por um lado, abraçou o formato híbrido, por outro, colocou-se como um espaço de reflexão e imaginação sobre o mundo – um mundo que começa em Paraty”, informa o site da festa literária.

A Flip é uma tradicional festa literária realizada desde 2003 no centro histórico da cidade de Paraty, patrimônio mundial no litoral sul fluminense.


Sinop voltará a ter tradicional festival de praia; aniversário e réveillon com shows nacionais

A prefeitura lançou licitação visando a contratação de uma empresa que será responsável pelo planejamento e organização do tradicional festival de praia e pesca, aniversário da cidade, Natal e réveillon. O investimento previsto é superior a R$ 4,6 milhões e a definição será em 10 de junho, a partir das 8 horas, segundo o edital.

A empresa ainda será responsável pelo gerenciamento, execução, revitalização, a operacionalização, restauração, recepção, produção, assessoria, locação de espaço e mobiliário adequados, equipamentos, acessórios, insumos e todos os demais materiais e serviços indispensáveis para execução das festas inclusas.

Nestas festividades, estão previstos shows nacionais, que ainda serão definidos, bem como locais. Já o tradicional festival de praia, que fez sucesso há alguns anos, será no rio Teles Pires, na altura do local conhecido como Cortado. O espaço será decorado com hall de entrada, arranjos, painéis para fotos, 60 guarda sol personalizados, 120 cadeiras, pergolados, camarim, camarote e outros itens.

No Natal, haverá desfile com carros alegóricos, que desfilarão na avenida Júlio Campos, com bailarinas, atores, músicos, dançarinos, palhaços, ursos gigantes, e outros personagens clássicos, heróis, flocos de neve, bem como decorações em postes, praças, com duendes, casa do Papai Noel, e outros itens.

O baile da cidade (possivelmente no aniversário), terá decoração com vasos, espelhos, 200 mesas, palco, três cenários internos para foto e outros itens. No réveillon, terá camarote, arquibancadas, shows, espaços para fotos, e outros.

A empresa será responsável pela revitalização das peças de natal, bem como sonorização, iluminação, seguro, decorações, projetos executivo, elétrico, de incêndio, brigadistas, bem como outros pontos em todos os eventos inclusos na contratação. Os eventos devem receber entre 800 e 30 mil pessoas.

Na justificativa, o executivo ressaltou que a contratação tem como objetivo retomar a agenda cultural em Sinop, que foi interrompida nos últimos dois anos em decorrência da pandemia. “a prefeitura não tem medidos esforços para a idealização de certificações e atingimento de metas para tanto, no qual inclusive recentemente nosso município teve renovado o Certificado de Regionalização do Turismo, oferecido pelo ministério do Turismo, certificando o município como destino turístico no estado, o consolidando como referência no setor de turismo e lazer na região”.


Cem anos do rádio no Brasil: o padre brasileiro que inventou o rádio

“Toquem o Hino Nacional!” Essas foram as primeiras palavras que o padre brasileiro Roberto Landell de Moura (1861-1928) disse na inédita demonstração pública de transmissão de rádio, em 16 de julho de 1899. A revelação é do escritor Hamilton Almeida biógrafo do inventor do rádio, graças a uma obstinada pesquisa em jornais da época. O escritor dedica-se a desvendar há 45 anos a vida daquele brasileiro injustiçado pela história e que ainda pouca gente conhece. 

Todos os detalhes sobre esse evento histórico, de caráter mundial, ainda muito pouco reconhecido e que tem mais elementos de brasilidade do que poderia se supor, estarão nas páginas do livro sobre o ousado padre, e que deve chegar às livrarias ainda neste mês de junho. Padre Landell: o brasileiro que inventou o wireless (editora Insular) é a quinta obra de Almeida sobre o inventor. O evento ocorreu 23 anos antes da primeira transmissão oficial de rádio no Brasil, em 7 de Setembro de 1922.  A 100 dias do centenário da rádio, conhecer de onde vieram as primeiras ondas que se espalharam no ar ajuda a entender, neste século 21, a dimensão do feito pioneiro dessa tecnologia.
Acompanhe: Rádios MEC e Nacional abrem celebrações do Centenário do Rádio
Ouça também:
Invenção que pode ser atribuída a um brasileiro, rádio se integra às novas tecnologias
Professor fala sobre origem brasileira da rádio


Aventura em São Paulo

Naquele final de século 19, o público ficou boquiaberto com as palavras e com o hino. Não havia dúvida de que aquele 16 de julho de 1899 simbolizava a genialidade humana. Houve até quem chamasse de bruxaria. Mas era um padre que fazia a transmissão de áudio entre o Colégio Santana, de onde ele era pároco, na zona norte de São Paulo, até a Ponte das Bandeiras, a cerca de quatro quilômetros de distância. Aquela data, de primeira demonstração pública de transmissão radiofônica, que vai completar 123 anos.


Hamilton Almeida buscou rastros e desvendou lacunas da vida do inventor pelo Brasil e em outros países. Quando fazia faculdade de jornalismo, ouviu de um professor chileno (Julio Zapata) que um padre brasileiro era o verdadeiro inventor do rádio e não o físico italiano Guglielmo Marconi, que criou o telégrafo. 


“Vi que a história do brasileiro estava incompleta e que ele era vítima de uma injustiça. Eu fui juntando as peças. Busquei centenas de pessoas que trabalharam e conviveram com ele, além dos documentos espalhados por muitos lugares”, afirma o biógrafo.  

Duas experiências públicas de Landell de Moura em São Paulo foram documentadas. A segunda experiência, no ano seguinte da primeira, foi publicada em apenas um veículo, o Jornal do Comércio, do Rio de Janeiro,

padre Landell de Moura
Cem anos do rádio no Brasil : Padre Landell de Moura produziu um equipamento que deixou o público boquiaberto - Foto: Hamilton Almeida

O primeiro livro publicado por Hamilton saiu nos anos 1980 em Porto Alegre, terra do Padre Landell. Em 2004, o autor publicou obra na Alemanha. Na obra mais recente, o autor resolveu desvendar detalhes sobre o dia da transmissão de rádio e também sobre a busca do padre por patentear as descobertas. “Quando ele colocou a voz em em uma onda de rádio, ele abriu a porta para as comunicações sem fio. E isso é legado para os nossos dias, como o telefone celular. Ele fez descobertas que acabaram gerando uma série de outras descobertas desde então.
Landell, segundo explica o biógrafo, patenteou o rádio no Brasil e nos Estados Unidos. “Eu consegui aprofundar uma série de aspectos nessa nova pesquisa. Tem uma informação também que eu considero muito importante é que a invenção dele nos Estados Unidos foi reconhecida por outros inventores. Consegui encontrar provas disso (e estão no livro)”.

padre Landell de Moura
Cem anos do rádio no Brasil : Padre Landell de Moura conseguiu patentear invento nos Estados Unidos em 1901. Acervo do biógrafo Hamilton Almeida

O escritor explica que Landell queria continuar pesquisando. Por isso, ele buscou correr para patentear a descoberta. Ele não tinha recursos da igreja ou público para isso. “Ele solicitou recurso, mas ninguém deu apoio nenhum. Nunca ganhou nenhum dinheiro. Apenas perdeu, na verdade. Ele saiu dos Estados Unidos endividado porque foi para lá com a intenção de ficar um ano (em 1901). Mas acabou ficando três anos e meio”. Para o invento, ele conseguiu dinheiro emprestado com um comerciante de Nova Iorque e ficou devendo uma pequena fortuna que só conseguiu pagar anos depois. A dívida era de US$ 4 mil. “Seria o equivalente a hoje uns R$ 600 mil”. 

 

Ciência e fé

padre Landell de Moura
Cem anos do rádio no Brasil : biógrafo descobriu registros da invenção do rádio pelo padre Landell de Moura - Acervo do biógrafo Hamilton Almeida

Diferentemente de outros inventores contemporâneos de Landell, como Alberto Santos Dumont, que tinha seus próprios recursos, o padre vivia com o pires na mão. “Ninguém deu atenção realmente para o que ele fazia. Além disso, padre cientista não era bem visto dentro da igreja nem fora dela”.

Era um momento histórico também de início da república no Brasil e também com a conquista do estado laico. Ciência para um lado, fé para o outro. Mas não era nisso que Landell acreditava. Ele achava que os dois campos poderiam conviver e interagir. “O padre estava um pé em cada lado. Mas tem declarações dele que ele achava que religião e ciência eram compatíveis”. 


Curioso desde antes de padre

Landell, quando tinha 16 anos de idade, antes de ser padre, criou uma espécie de telefone. O menino era curioso e gostava de ler sobre tudo, de telecomunicações à astronomia. “Ele  examinava animais mortos e tinha um interesse variado, em biologia, física, astronomia…Ao mesmo tempo, ele tinha uma vocação religiosa também por influência da família”. 

Tanto que quando Landell foi para Roma ajudar no seminário, ele também buscou estudar física e química na Universidade Gregoriana. Foram duas formações ao mesmo tempo. “Brigavam com ele também por causa dessa situação de ser padre e cientista. Quando ele inventou o rádio, pediu licença para voltar ao Brasil e ir aos Estados Unidos”. 

Empreendedor

Seis jornais deram destaque ao invento com a experiência de 1899. Três veículos em São Paulo e outros três no Rio de Janeiro. “Era uma novidade, mas não foi o suficiente para traduzir em patrocínio que é o que ele precisava. Ele investiu nisso, mas infelizmente não teve resultado para continuar pesquisando. Acabou ficando marginalizado assim na história”, afirma. 

 

padre Landell de Moura
Cem anos do rádio no Brasil: história do padre Landell de Moura foi registrada no começo do século 20 pelo New York Herald (jornal veiculado entre 1825 e 1924) - Acervo do biógrafo Hamilton Almeida

“Quando ele veio da Itália para o Brasil, ele tinha uma ideia de que era possível fazer comunicação pelo ar. Naquele momento só existia o telégrafo”. Almeida explica que o inventor demorou mais de 10 anos para desenvolver o equipamento. Landell voltou ao Brasil em 1886. Os registros mostram que em 1893, apesar dos pedidos para a igreja, ele não conseguiu recursos. Em 1895, o italiano Marconi apresentou o telégrafo. “Mas a diferença fundamental é que Landell conseguiu transmitir a voz”. 

Em 1899, ele convidou empresários em São Paulo para apresentar a novidade, da capela de Santa Cruz, mais precisamente do Colégio Santana, ele conseguiu transmitir os sons até a Ponte das Bandeiras, sobre o Rio Tietê. “Depois ele fez a mesma experiência em direção à Avenida Paulista. Ele teve a presença do cônsul britânico que assistiu à demonstração”. 

Gênio esquecido

O biógrafo lamenta que até hoje Landelll de Moura não tem a fama que poderia ter, inclusive internacionalmente. Também por isso, o biógrafo entende, que diante dessa injustiça, passou a se dedicar a perseguir os rastros da fantástica história do padre. Para o novo livro, foi aos Estados Unidos e pesquisou também na Itália atrás das pistas. “Cheguei a contratar uma pesquisadora na biblioteca de Nova Iorque para me ajudar. Assim foi se juntando esse quebra-cabeça. Às vezes, nos livros da igreja ele não escrevia nada”. 

Por isso, conversar com testemunhas fez as peças se juntarem. Como todas já faleceram, os livros tentarão fazer justiça ao inventor. “Para os fiéis da igreja não era algo simpático porque ele fugia do tradicional de ficar lá só dentro da igreja. Mas ele tinha essa capacidade intelectual de criar”. Mas voz pelo ar parecia coisa do demônio, apontavam aqueles que davam de ombros para a ciência.

Nos Estados Unidos, ele buscou patentear o rádio, o rádio por ondas de luz e um telégrafo. “Mas ele não ficou lá para comercializar. Ele quis voltar, mas ficou endividado. Infelizmente, no caso dele, o obscurantismo venceu. Caso tivesse vingado a história do padre brasileiro, o Brasil poderia estar na vanguarda da industrialização do aparelho”. 

Depois do rádio, ele começou a estudar outros temas fora das telecomunicações e da religião, incluindo psicologia e outras ciências. Mas ele continuava sendo admoestado pelo bispo. Padre Landell morreu em 1928, vítima da tuberculose, aos 67 anos. “Ele fumava. Não se agasalhava naquele frio de Porto Alegre. Ele dizia que dava a roupa para os pobres. Ele estava muito triste mesmo”. A vacina da tuberculose havia sido descoberta naquela década, mas não a tempo de salvar o homem que se dedicou a Deus e à ciência ao mesmo tempo

 

Série de reportagens

Em comemoração aos cem anos do rádio no Brasil, completados em 7 de setembro de 2022, a Agência Brasil  publica uma série de 10 reportagens sobre as principais curiosidades históricas do rádio brasileiro. 

O centenário do rádio no país também será celebrado com ações multiplataforma em outros veículos da EBC, como a Radioagência e a Rádio MEC  que transmitirá, diariamente, interprogramas com entrevistas e pesquisas de acervo para abordar diversos aspectos históricos relacionados ao veículo. A ideia é resgatar personalidades, programas e emissoras marcantes presentes na memória afetiva dos ouvintes. 


Filha de Zé do Caixão lança colecionáveis de terror no Cine Teatro Cuiabá

O Dia do Orgulho Nerd é comemorado anualmente em 25 de maio em todo o mundo. Em Cuiabá, na quarta-feira, a partir das 19h30, o Cine Teatro Cuiabá abre as portas para o lançamento da coleção “Spook: Horror Clássico”, uma série de bustos colecionáveis confeccionados em resina e pintados à mão, criada pelos artistas visuais Gustavo Neri e José Junior. A entrada é franca.

O Dia do Orgulho Nerd Spooky, que terá Liz Vamp como mestre de cerimônias, destaca a filha do Zé do Caixão em uma rodada de autógrafos, além da performance musical de Gorium.

O evento nerd conta ainda com bate papo com os artistas visuais Gustavo Neri e José Júnior e destaca a exibição do filme “Nosferatu, Eine Symphonie des Grauens”, em comemoração ao centenário de lançamento deste clássico do terror dirigido por Friedrich Wilhelm Murnau.

“Para o lançamento da coleção de bustos de terror, que leva a marca de Hero Art Studio (www.heroartstudio.com), podemos adiantar é que a programação será voltada para este personagem clássico, que inspirou gerações e completa 100 anos em 2022. Bom, praticamente estraguei a surpresa, né? (risos)”, adianta Vicente Albuquerque Maranhão, um dos idealizadores do projeto.

Hero Art Studio

A Hero Art Studio é uma startup criada em Cuiabá, inteiramente dedica ao público nerd, ou geek. Nasceu com o propósito de unificar a relação de artistas e colecionadores, proporcionando todo o suporte para que o artista se destaque no mercado, bem como a apresentação de peças e obras exclusivas, com extrema qualidade e dedicação, para cada tipo diferente de colecionador.

Gustavo Neri, arquiteto e artista visual responsável pelo acabamento da coleção Hero Art Studio
Créditos: Divulgação

“O que começou apenas como um hobby, por meio de uma prima que gosta muito de artes, se tornou também um de meus maiores sonhos: ser um grande artista e trabalhar com o que gosto”, explica Gustavo Neri, arquiteto e artista visual responsável pelo acabamento da coleção Hero Art Studio. 

Para José Ribamar da Silva Rocha Junior (ou apenas Junior), artista da Baixada Cuiabana, trabalhar com esculturas faz parte de seu cotidiano desde muito jovem.

José Junior, artista da baixada cuiabana responsável pelas esculturas Spook: Horror Clássico
Créditos: Divulgação

“Desde pequeno, sempre estive envolvido com pequenas esculturas de arte feitas na escola. Adulto, em meio à tamanha paixão, continuei em busca de me superar a cada desafio”, destaca Júnior.

Liz Vamp

Liz Marins é cineasta, atriz, escritora, apresentadora de rádio e tv, criadora e intérprete da personagem Liz Vamp, além de filantropa. Participou de diversos trabalhos em teatro, cinema e televisão, também roteirizou, dirigiu e trabalhou como atriz em vários curtas-metragens de sucesso, como “Aparências”, “Bodas de Prata”, “Obituário” e “Destino”, entre outros.

Participou de festivais de cinema no Brasil e no exterior. Em Portugal, no Festival Internacional de Cinema de Terror de Lisboa – MOTELX, ministrou um Workshop de cinema e vídeo e dirigiu o curta-metragem “Pousada Da Paz”, tendo interpretado, nesta obra, a misteriosa e sarcástica anfitriã da história. Em 2001 Liz Marins criou a personagem Liz Vamp, filha do personagem Zé do Caixão com uma vampira inglesa. Liz Vamp já foi materializada em vários tipos de obras - filmes, histórias em quadrinhos, rádio, videoclipes, programas de televisão.

Liz Vamp, filha do Zé do Caixão, participa de rodada de autógrafos no Cine Teatro Cuiabá
Créditos: Divulgação

A personagem é também musa da bem-sucedida Campanha Social do “Dia dos Vampiros”, de criação de Liz Marins, em 2002. A Campanha visa o incentivo à doação de sangue; à luta contra rótulos, preconceitos e discriminações de quaisquer espécies; e incentivo à diversidade artística. O evento possui milhares de adeptos, que se vestem com os trajes de seus personagens fantásticos favoritos, para, em “cortejo”, doarem sangue.

Nos 20 anos de existência, o “Dia dos Vampiros” ajudou a salvar muitas vidas e chegou a bater o recorde em doações voluntárias de sangue do maior hemocentro da América Latina. Em 2003, o Dia dos Vampiros se tornou lei na cidade de São Paulo, sendo, atualmente, comemorado também outras cidades do Brasil e do Mundo. Em 2011, teve comemoração na Eslovênia, dentro do contexto do evento Grossmann Fantastic Film and Wine Festival, que contou com a presença do icônico ator Sir Christoffer Lee, o “eterno Drácula”.

Liz Marins possui uma grande quantidade de fãs, que acompanham a sua carreira. Milhares deles se encontram conectados ao trabalho da artista pelas redes sociais, como Facebook e Instagram. A personagem Liz Vamp é também uma rockstar, e, fazendo jus à profissão de sua criatura, Liz Marins, interpretando a sua personagem, lançou algumas músicas e clipes. Na última sexta-feira 13 (maio de 2022), lançou as músicas “Sou Monstro” e “Anjo da Eternidade”, com ritmo sensual e envolvente e letras “vampíricas”, que questionam a existência e são permeadas de críticas sociais.

Dia do Orgulho Nerd

A data foi criada para que todos os nerds e geeks possam celebrar, assumir, homenagear e promover a sua cultura.

Assim, 25 de maio, o Dia do Orgulho Geek, é comemorado nesta data em homenagem à estreia do primeiro filme da franquia Star Wars (Star Wars, Episódio IV: Uma Nova Esperança), lançado em 25 de maio de 1977 e considerado um grande marco para a cultura nerd.

No dia 25 de maio ainda é celebrado o Dia da Toalha, uma comemoração que também serve de homenagem para a cultura geek e nerd. O Dia da Toalha é uma homenagem aos fãs da série "O Guia do Mochileiro das Galáxias" e ao seu autor, o escritor Douglas Adams.


Governador recebe festeiros do Senhor Divino: “Momento de reverenciar a fé”

Mauro Mendes recepcionou comitiva no Museu Residência dos Governadores

O governador Mauro Mendes recepcionou os festeiros do Senhor Divino, na manhã desta segunda-feira (23.05), no Museu Residência dos Governadores, em Cuiabá.

A tradição das boas-vindas foi acompanhada pelo imperador da Festa do Divino, Samuel Maggi, pelo Padre Deosdete, pelo senador Wellington Fagundes e pelos secretários de Estado Rogério Gallo (Casa Civil), Jefferson Neves (Cultura, Esporte e Lazer), Laice Souza (Comunicação), Emerson Hideki (Controladoria Geral), Teté Bezerra (Agricultura Familiar) e Jordan Espíndola (Gabinete de Governo). 

“É muito importante que mantenhamos essa tradição, referenciando não só a comemoração de uma festa, mas acima de tudo reverenciando a fé em nosso Senhor Jesus Cristo e no Senhor Divino”, afirmou o governador.

O imperador da festa, Samuel Maggi, comemorou o retorno do evento, que não pôde ser realizada de forma plena nos últimos dois anos por conta da pandemia de covid-19. 

A programação deste ano iniciou no domingo (22.05) e segue até o dia 6 de junho.

“Que a festa renove a fé em nossos corações para que possamos deixar para trás esse momento difícil da pandemia. Que o nosso Senhor Divino continue abençoando nossas vidas, nossas famílias, nossa belíssima Cuiabá e o nosso Estado de Mato Grosso”, disse.

A história

A origem da Festa do Divino se encontra em Portugal do século 14, com uma celebração estabelecida pela rainha Isabel (1271-1336), por ocasião da construção da igreja do Espírito Santo, na cidade de Alenquer.

A devoção se difundiu rapidamente e tornou-se uma das mais intensas e populares em Portugal. Por isso, chegou ao Brasil com os primeiros povoadores. Há documentos que atestam a realização da festa do Divino em diversas localidades brasileiras desde os séculos 17 e 18.

A festa se espalhou rapidamente e tornou-se tradicional e se cristalizou em estados como Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia, Goiás e Mato Grosso


Prêmio Jejé de Oyá: Cerimônia será realizada na próxima sexta-feira (29)

A cerimônia de gala do ‘Prêmio Jejé de Oyá – Aos Personagens Negros – edição 2022’ será realizada na próxima sexta-feira (29), a partir das 19h, no Cine Teatro Cuiabá. O evento conta com apoio da Prefeitura de Cuiabá, por meio da Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer, integrando a programação em comemoração ao aniversário de 303 anos da capital.

O Prêmio Jejé de Oyá tem como objetivo reconhecer os personagens negros de Cuiabá e da Baixada Cuiabana pelas histórias de luta, resistência, produção independente, capacidade criativa, empreendedorismo comercial e cultural, conhecimento educacional científico, merecimento e pertencimento étnico racial-religioso. Nesta edição, seis personagens de destaque social foram homenageados e profissionais que se destacam em dez áreas de atuação serão premiados, após serem escolhidos por um júri técnico que observou pontos relevantes como: sociedade, profissionalismo, competência e comprometimento.

Conforme o idealizador do prêmio, Jeferson Bertoloti, além dos convidados e homenageados, aqueles que desejarem prestigiar a premiação podem retirar seus ingressos no Cine Teatro Cuiabá doando 2 kg de alimentos não perecíveis, que serão destinados à Associação Fome Não (AFON). O atendimento será a partir desta terça-feira (26) até a próxima quinta-feira (28), das 8h às 18h.

“Estamos arrecadando 2 kg de alimentos para trocar por um ingresso. Aqueles que não tiverem como trazer os 2 kg, podem trazer 1kg, assim como existem pessoas que podem doar mais de 2kg, o importante é que doem e ajudem essa causa cultural e solidária”, pontuou Betoloti.

O evento é realizado pela Bemtivi Academia de Arte, em parceria com o Instituto Cultural Casarão das Artes, Secretaria de Estado de Cultura, Esporte E Lazer, com apoio da Secretaria Municipal de Cultura, Esporte e Lazer, Assembleia Social, Cine Teatro De Cuiabá, Grupo Cena Onze, Cooperflora, Grana Preta e da Comissão de Defesa da Igualdade Racial da OAB-MT.

Jejé de Oyá

José Jacintho Siqueira de Arruda, colunista social, alfaiate e carnavalesco, filho biológico do casal Egídio Nunes de Arruda e Benedita de Siqueira, nasceu em Rosário Oeste em 03 de junho de 1934, ainda criança foi acolhido em Cuiabá na casa de Catarina Monteiro da Silva Cuiabano onde foi adotado por Crescêncio Monteiro da Silva e Luiza Monteiro da Silva.

Figura histórica do carnaval cuiabano desfilou nos bailes, clubes, blocos e avenidas da cidade nos carnavais de 1954 a 2010. Participou de grandes e importantes momentos da história social e política mato-grossense. Jejé como era conhecido desde criança, marcou sua época como símbolo maior da luta contra o preconceito racial e sexual. Ganhou a simpatia da capital sendo eleito em consulta popular do jornal Diário de Cuiabá como a personalidade que tinha a “cara da cidade”, entre outras honrarias públicas foi condecorado como Comendador do Comércio Mato-grossense e após seu falecimento em 11 de janeiro de 2016 em sua residência em Cuiabá o governo do Estado de Mato Grosso sancionou uma lei reconhecendo o decano Jejé de Oyá como Patrono do Colunismo Social Mato-grossense.


Grande Rio é campeã, pela primeira vez, do carnaval do Rio

São Clemente ficou em último lugar e foi rebaixada

A Grande Rio é a campeã do carnaval do Rio do Grupo Especial, pela primeira vez em sua história. Com o enredo Fala, Majeté! Sete Chaves de Exu, a escola obteve nota 269,9.

Em segundo lugar, ficou a Beija-Flor. Com o enredo Empretecer o Pensamento é Ouvir a Voz da Beija-Flor, a escola obteve nota 269,6.

A terceira posição foi ocupada pela Viradouro, com o enredo Não há Tristeza que Possa Suportar Tanta Alegria. A escola teve nota 269,5.  A quarta colocação coube à Vila Isabel, com o enredo Canta, Canta, Minha Gente! A Vila é de Martinho, com 269,3. A quinta posição ficou com a Portela, com Igi Osè Baobá, com nota 269,2. O sexto lugar coube ao Salgueiro, com o enredo Resistência, a escola obteve nota 268,3. As seis primeiras colocadas voltam no desfile das campeãs, no próximo sábado (30).

As demais posições ficaram com a Mangueira, em sétimo, com 268,2; a Mocidade, em oitavo, também com 268,2, mas atrás pelo critério de desempate; a Unidos da Tijuca, em nono, com 267,9; a Imperatriz Leopoldinense, em décimo, com 266,9. A Paraíso do Tuiuti ficou em décimo-primeiro, com 266,4. E a São Clemente, em décimo-segundo, com 263,7, foi rebaixada e disputará o próximo carnaval na Série Ouro.

Apuração das notas do desfiles das escolas de samba na Sapucaí 2022
Apuração das notas do desfiles das escolas de samba na Sapucaí 2022 - Tomaz Silva/Agência Brasil

Por não ser feriado, a apuração atraiu um público menor que nos anos anteriores. Ainda assim, torcedores de todas as escolas se fizeram presentes nas arquibancadas, com faixas e bandeiras. Até um cartaz em memória da menina Raquel Antunes, morta em um acidente com carro alegórico, foi levado por um torcedor

Em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, a quadra da Grande Rio ficou pequena para os milhares de torcedores, que comemoraram o título inédito.


Rio: carnaval renasce no Sambódromo após dois anos de pandemia

Primeiros a pisar na pista foram componentes da velha guarda

As estruturas de cimento e aço do Sambódromo ganharam vida novamente, após dois anos de sono involuntário, devido à pandemia. Quando a primeira escola pisou na Avenida Marquês de Sapucaí na noite desta quarta-feira (20), pela Série Ouro, foi dada a largada oficial do carnaval fora de época no Rio de Janeiro.

Mas antes das escolas, o privilégio de estrear na pista foi dos componentes da velha guarda, carregando os estandartes de cada agremiação, cantando a composição Velha Guarda, de Dicró: "Sou velha guarda, a espinha dorsal do samba".

Um dos cuidados obrigatórios este ano seria a apresentação do comprovante de vacina contra a covid-19, exigido de todos para ingressar no local do desfile. Porém, conforme a reportagem da Agência Brasil constatou, as pessoas estavam passando pelas catracas sem terem que apresentar o passaporte vacinal.

Na ordem dos desfiles, a primeira escola a retomar o Sambódromo foi a Em Cima da Hora, às 21h50, trazendo o enredo 33 - Destino Dom Pedro II, uma reedição do Carnaval de 1984, quando a escola desfilou na estreia do Sambódromo pelo grupo 1-B, antiga segunda divisão. O samba tece uma crônica das viagens de trem enfrentadas pelos trabalhadores para ganhar o pão na capital. Dom Pedro II era o nome da estação de trem que, em 1899, passou a se chamar Central do Brasil.

Em Cima da Hora abre os desfiles da Série Ouro do carnaval 2022 na Sapucaí
Em Cima da Hora abre os desfiles da Série Ouro do carnaval 2022 na Sapucaí - Tomaz Silva/Agência Brasil

Segunda a desfilar, a Acadêmicos do Cubango, de Niterói, entrou com muita garra, com todos os componentes cantando o samba, o que levantou as arquibancadas. Ela veio contar a história da atriz Chica Xavier, que atuou em mais de 50 novelas na televisão e estreou no Theatro Municipal do Rio em 1956, na peça Orfeu da Conceição, de Vinícius de Moraes.

A escola de São João de Meriti, Unidos da Ponte, este ano escolheu o enredo Santa Dulce Dos Pobres – o Anjo Bom da Bahia, desenvolvido pelos carnavalescos Rodrigo Marques e Guilherme Diniz. O objetivo era contar a história da santa e apresentar seu legado de obras sociais.

A Porto da Pedra, de São Gonçalo, apostou no enredo O Caçador que Traz Alegrias, para homenagear mãe Stella de Oxóssi. O sobrinho da importante ialorixá da Bahia, obá Adriano Obiodun, é um dos compositores do samba-enredo da escola.

A União da Ilha, que caiu para o Grupo de Acesso em 2020, elegeu o enredo Nas Encruzilhadas da Vida, Entre Becos, Ruas e Vielas, a Sorte Está Lançada: Salve-se Quem Puder!, a fim de exaltar a fé por Nossa Senhora Aparecida.

Já a Unidos de Bangu escolheu o enredo Deu Castor na Cabeça, em homenagem ao bicheiro Castor de Andrade, entrelaçando a vida do patrono do Carnaval e do futebol com a história do bairro da Zona Oeste e do Bangu Atlético Clube.

A última prevista a desfilar no primeiro dia da Série Ouro era a Acadêmicos do Sossego, com o enredo Visões Xamânicas. O carnavalesco André Rodrigues criou um pajé para conduzir o público por meio de suas visões.

Nesta quinta-feira (21) será a vez das outras escolas da Série Ouro desfilarem na Marquês de Sapucaí: Lins Imperial, Inocentes de Belford Roxo, Estácio de Sá, Acadêmicos de Santa Cruz, Unidos de Padre Miguel, Acadêmicos de Vigário Geral, Império da Tijuca e Império Serrano.


Terceira edição do Festival da Pamonha começa nesta quinta-feira (21) e ofertará mais de 20 toneladas da iguaria

Evento terá início às 9h desta quinta-feira, dia 21

A terceira edição do Festival da Pamonha terá início nesta quinta-feira (21), na comunidade Rio dos Peixes, situada às margens da rodovia Emanuel Pinheiro (MT-251). A iniciativa é organizada pela Prefeitura de Cuiabá por meio da Secretaria Municipal de Turismo e terá início a partir das 9h.

A atividade  será realizada no período de 21 a 24 de abril e irá disponibilizar mais de 20 toneladas de pamonha com pelo menos dez opções. O Festival contará com 36 barracas e a oferta de outras iguarias de milho, como o curau. Haverá ainda e revenda de doces, espetinhos, comidas típicas e caldos. Os artesãos locais também irão realizar  uma grande exposição de produtos.

O Festival é uma estratégia para fomentar a economia e ajudar na divulgação dos atrativos de Cuiabá e integra um amplo calendário de eventos em celebração aos 303 anos da capital.

O evento  conta ainda com a participação das Secretarias de  Agricultura, Trabalho e Desenvolvimento Econômico; Cultura, Esporte e Lazer; Mobilidade Urbana, Secretaria de Comunicação e a Empresa Cuiabana de Zeladoria e Serviços Urbanos (Limpurb).

SERVIÇO:

 

Pauta: Terceiro Festival da Pamonha 

Onde: Comunidade Rio dos Peixes (km 23 da Comunidade Rio dos Peixes) 

Horário de abertura: 9h 

Período de realização: 21 a 24 de Abril 


Com emenda de Botelho, 1ª Mostra Cultural de Jangada supera expectativas

Professores, alunos, merendeiras e lideranças tiveram extensa programação sobre as tradições regionais da Baixada Cuiabana

Roda de conversas sobre o linguajar regional, arte em argila e cursos de capacitação sobre comidas típicas, além da dança Siriri e Cururu, estiveram na programação da 1ª Mostra Cultural do Vale do Rio Cuiabá, realizada, em Jangada, cidade a 84 quilômetros de Cuiabá, conhecida como a ‘Capital do Pastel’.  

O evento recebeu emenda parlamentar do deputado Eduardo Botelho (União Brasil), presidente da Assembleia Legislativa, pela importância em manter vivas as tradições regionais. O parlamentar participou do último dia da ação, na quinta-feira (7), da roda de conversa, quando apreciou a culinária típica e degustou o guaraná ralado, reforçando a importância de resgatar, promover, preservar e valorizar a cultura do Vale do Rio Cuiabá. Foram três dias de ações educativas para professores, alunos dos ensinos médio e fundamental e demais funcionários das escolas públicas.  

“Essa mostra cultural é muito importante, falando do linguajar cuiabano, do Siriri e Cururu, do rasqueado, do Boi da Serra, enfim, da nossa cultura como um todo. Teve também um treinamento para as merendeiras, para ensinar a fazer a comida cuiabana, a Maria Izabel, a farofa de banana, conhecimento que será aproveitado na merenda das escolas. É um sucesso essa mostra cultural que está sendo feita com nosso apoio, da Secretaria de  Estado de Cultura e da Câmara Municipal de Jangada. Vamos fazer em outros municípios da Baixada Cuiabana. Aqui vivenciei lembranças da minha infância, quando acompanhava meu pai que era cantador de cururu nas festas. É uma recordação muito grande sobre a minha origem. O linguajar cuiabano é muito bom. Temos que preservar e valorizar nossas raízes”, afirmou Botelho.

A coordenadora da Escola Rural Severiano Vieira da Silva, Benedita Egídia de Sales, disse que o momento é importante para a comunidade escolar. “Uma iniciativa muito boa para nosso município, que já pensa em trabalhar a cultura regional nas escolas. Vai fortalecer nossas tradições, com a comida típica, danças que serão levadas pelos alunos para suas casas”, disse.

Cibele Bussiki, presidente do Instituto Cultural América – Inca, agradeceu a parceria que promoveu a 1ª Mostra Cultural. “Estamos muito agradecidos à instituição porque é esse nosso objetivo de salvaguardar a nossa cultura, dar valor e expressão às pessoas que realizam e se empenham dentro da cultura regional. Queremos salvaguardar nossos costumes, nosso rio, nosso linguajar. E agradecer o deputado Botelho pelo apoio e por chamar a atenção sobre a importância de manter vivas as nossas tradições, como a reza contada, cururueiros. Também destacar a roda de conversa com os professores, pois querem ser porta-vozes dessa iniciativa, principalmente, do nosso linguajar”, destacou a presidente.

A merendeira Januza Sirlei da Cunha comemorou a oportunidade de ampliar o conhecimento gastronômico. “É sempre bom inovar. Agradecemos o apoio do deputado, que já morou aqui, é da região, é raiz. As aulas foram maravilhosas, aprendemos muito e aproveitamos a troca de experiência com outras profissionais das escolas”.

O presidente da Câmara de Vereadores de Jangada, Junior de Paula, ressaltou ação. “Agradecemos o apoio do deputado Botelho, homem simples, que fala do nosso jeito, é muito bom. Nossos alunos aprenderam arte com argila, dançaram siriri e outras tradições. O evento superou nossas expectativas!”.

PROGRAMAÇÃO - 1ª Mostra Cultural promoveu oficinais: Gastronômica Regional, para as merendeiras das escolas estaduais e municipais; Musicalização com Materiais Reciclados; Artesanato; Siriri para os alunos; Grafite; Roda de Conversa “A Importância da preservação das tradições do Vale do Rio Cuiabá – Conexões e Saberes”; interação com piadas e causos contados no linguajar regional; palestra educacional ambiental com intersecção no Vale do Rio Cuiabá para professores; entrega de certificados e apresentações culturais e exposições do que foi produzido nas oficinas.


Inscrições para o Dia Mundial da Criatividade estão abertas até 21 de abril

Esta é a 4ª edição do evento que trará como assuntos principais a empregabilidade e a geração de renda, contribuindo para reduzir os danos e prejuízos causados pela pandemia

Camila Paulino

Estão abertas as inscrições para quem desejar participar do Dia Mundial da Criatividade em Mato Grosso. A Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação de Mato Grosso (Seciteci), por meio do MT Ciências e do Parque Tecnológico, apoia este que é o maior festival colaborativo de criatividade do mundo.

O evento será realizado de forma virtual nos dias 21 e 22 de abril e segue com as inscrições abertas até o dia 21 de abril. Para se inscrever, o candidato pode acessar o site do evento e baixar o aplicativo e se cadastrar.

Esta é a 4ª edição do evento que trará como assuntos principais a empregabilidade e a geração de renda, contribuindo para reduzir os danos e prejuízos causados pela pandemia.

Dentre os temas abordados pelo festival estão: pensamento analítico e inovação; aprendizagem ativa e estratégias de aprendizagem; resolução de problemas complexos; pensamento crítico e análise; criatividade; liderança e influência social; uso, monitoramento e controle de tecnologia e artes, técnicas e expressão artística.

Cada cidade participante tem o seu próprio representante, chamado de líder local. Esse representante da sociedade civil defende o valor da criatividade e da educação para transformar a realidade da sua região.

Em Cuiabá, a líder local é Caroline dos Anjos Vaez, agente de Inovação do Parque Tecnológico Mato Grosso que, representará Mato Grosso no evento. Ela desde 2020, assumiu a responsabilidade de trazer o World Creativity Day  e agora, Cuiabá estará ao lado de cidades globais como Barcelona, Vancouver, Dubai, Paris e Londres.

"Estamos vivendo uma mudança de paradigma. O Fórum Econômico Mundial chamou a atenção dos líderes mundiais para o risco de uma nova 'geração perdida'. Neste contexto, a criatividade e o desenvolvimento de novas habilidades são fundamentais para garantir empregabilidade ou para fazer um negócio dar certo em nossa cidade. É por isso que estamos orgulhosos ao ver Cuiabá fazendo parte do maior festival colaborativo de criatividade do mundo", afirma Caroline.

No dia 30 de março aconteceu um pré-lançamento do evento para Jornalistas, influenciadores e parceiros. Na ocasião houve uma grande coletiva de imprensa com a participação de parceiros e veículos de mídia em mais de 128 cidades ao redor do mundo. Para assistir clique AQUI.

Para mais informações, basta acessar o site oficial do evento AQUI ou entrar em contato com a líder local pelo e-mail: vaez.carolis@gmail.com ou telefone (65) 9 8128- 4098.

Todas as atividades do Dia Mundial da Criatividade poderão ser acessadas gratuitamente por meio do canal oficial de cada cidade participante no aplicativo (Android e iOS), ou pela plataforma oficial evento.

Leia mais

Dia Mundial da Criatividade será comemorado em Cuiabá e em outras 120 cidades de diversos países


Festival CirandaMundo abre inscrições online; de 1° a 8 de abril

Selecionado no edital Circuito de Mostras e Festivais da Secel, o projeto traz aulas técnicas de instrumentos, ensino teórico e práticas musicais, além de outros estudos e reflexões

Da Assessoria

 

Estão abertas as inscrições para o I Festival CirandaMundo, inteiramente dedicado ao ensino da música de orquestra e a formação de novas plateias. Instrumentistas interessados podem se inscrever de 1° a 8 de abril no site do Festival: www.even3.com.br/cirandamundo .

A edição de estreia ocorrerá em formato online pelo Google Meet e YouTube de 14 a 16 de abril e contará com professores do Instituto Ciranda e de outras importantes instituições musicais brasileiras. Entre os destaques, palestras com o pianista Ricardo Ballestero (USP), a clarinetista Paula Pires (UNESP) e o saxofonista e clarinetista Efraim Santana (EMESP/ ECA/ USP).

“O Festival CirandaMundo é um sonho antigo que agora pode se concretizar com o incentivo da Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer, por meio da Lei Aldir Blanc. Nasce com vocação para a continuidade pois está pautado na esteira de nosso programa pedagógico, como mais um importante elemento agregador em um processo já solidificado”, comemora Murilo Alves, presidente do Instituto Ciranda.

Em sua proposta, o Festival traz aulas técnicas de instrumentos, ensino teórico e prática musical coletiva por meio de grupos instrumentais. Está organizado em estudos individuais, coletivos, discussões e reflexões sobre o desenvolvimento musical nos diferentes níveis.

“Nas últimas duas décadas, Mato Grosso passou por profundos avanços no ensino dos instrumentos musicais de orquestra. O Instituto Ciranda teve sua fundação no ano de 2003 e desde então tem sido protagonista na realização de um programa social de música que já atendeu mais de dez mil crianças, adolescentes e jovens, em polos instalados em Cuiabá, Várzea Grande, Campo Verde, Rondonópolis, Poconé e Chapada dos Guimarães”, conclui Murilo Alves.

Divulgação

Palestras com o pianista Ricardo Ballestero (USP), a clarinetista Paula Pires (UNESP) e o saxofonista e clarinetista Efraim Santana (EMESP/ ECA/ USP)

Serviço

Inscrições para o I Festival CirandaMundo

De 1° a 8 de abril no site www.even3.com.br/cirandamundo

Inscrições e aulas gratuitas


9º Festival Humor do Mato será transmitido online neste fim de semana

Evento, que reúne humoristas regionais e nacionais, homenageia o ator Ataíde Arcoverde.

Cida Rodrigues

Em sua 9ª edição, o festival cênico “Humor do Mato - Festival Nacional do Humor de Mato Grosso” reúne humoristas regionais e nacionais no Cine Teatro Cuiabá neste sábado (20.02) e domingo (21.02), a partir das 19h. O evento será transmitido gratuitamente ao público pelo YouTube e facebook.

A apresentação coletiva nasceu em 2003, no aniversário de oito anos da dupla  Nico e Lau, cujo show inaugural contou com a participação de Chico Anysio. De lá para cá, o Festival se ampliou e se consolidou como importante agenda da cultura e entretenimento em Cuiabá, contemplando os principais humoristas locais. 

Neste ano, o espetáculo homenageia o ator, comediante e professor de interpretação Ataíde Alves Arcoverde. Natural de Guiratinga (MT), o humorista é reconhecido nacionalmente, principalmente por seus papéis cômicos na TV, como nos programas globais A Diarista, Escolinha do Professor Raimundo e Zorra Total.

A programação deste fim de semana conta com a participação das personagens Penélope, Almerinda, Pitú, Bastiana Cacerense, Totó Bodega e da dupla Nico e Lau. Além de Ataíde Arcoverde, o evento traz ainda como atração nacional o humorista Alexandre Porpetone, mais conhecido como Cabrito Tévez, que realiza a transmissão direto de São Paulo (SP). 

Para Lioniê Vitório, da dupla Nico e Lau, o Humor do Mato é um importante processo de integração e intercâmbio das produções e se constitui em espaço plural da cultura popular do Brasil. 

“É um evento que proporciona um verdadeiro mosaico da cultura brasileira em Mato Grosso. E celebra o humor, um movimento artístico-cultural que contribui para o desenvolvimento das artes da cena e da elevação da autoestima do povo cuiabano”, complementa.

O 9º Humor do Mato conta com o patrocínio do Governo de Mato Grosso por meio de emenda parlamentar executada pela Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel-MT) e apoio da Assembleia Legislativa de Mato Grosso.


Projeto "muito MATO" contrata recém-formados para atuação no mercado da música

Selecionado no edital MT Criativo da Secel, projeto “muito MATO” dará oportunidade para jovens graduados em sete cursos com direito a auxílio mensal

Assessoria

Segue aberto até sábado (06.02) o processo seletivo de contratação de jovens recém-formados para atuação no mercado da música por meio do projeto “muito MATO”. Os selecionados receberão bolsa no valor de R$ 700 pelo período de três meses, totalizando R$ 2,1 mil por participante.

A incubadora com foco em marketing digital e branding abarcará a gestão e coordenação de redes sociais e plataformas digitais, o planejamento de conteúdos digitais de artistas, propagandas, estudo de métricas, merchandising e o backstage que envolvem uma carreira musical.

Com o objetivo de contribuir para a profissionalização do mercado musical mato-grossense, a primeira condição para os interessados é a paixão pela música. Além disso, é necessário residir em Mato Grosso e ter se formado em 2020 ou até a corrente data em 2021. Também é preciso ter disponibilidade para aulas e trabalho em grupo no formato virtual. 

As vagas são destinadas a recém-graduados em marketing e/ou publicidade, administração, ciências contábeis, jornalismo, rádio, estatística e design. No caso do curso de design, o edital admitirá candidatos com formação técnica ou em graduações em áreas afins.

O projeto “muito MATO” foi selecionado no edital MT Criativo promovido pela Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel/MT) com recursos da Lei Aldir Blanc.

Inscrições

Para participar do processo seletivo do projeto “muito MATO”, os candidatos devem encaminhar para o endereço eletrônico editalmtmt@gmail.com os seguintes documentos:

-Carta de intenção, escrita de forma livre, na qual fique explícita a sua relação com a música, dentro das suas próprias subjetividades;
-Currículo ou portfólio;
-Formulário de inscrição (anexo I);
-Questionário (anexo II)

Acesso ao formulário (anexo I) e ao questionário (anexo II) pelo link: https://bit.ly/39B71Cy 

Período: inscrições entre os dias 02 e 06 de fevereiro de 2021

Mais informações: muitomatomtmt@gmail.com


Beethoven 250 anos: história e legado de um gênio da música clássica

Nascimento de Ludwig van Beethoven completa 250 anos nesta quinta

Por Edgard Matsuki 

 

Há exatos 250 anos, nascia, na cidade de Bonn, na Alemanha, um dos maiores nomes da história da música: Ludwig van Beethoven. Ele não só revolucionou a música clássica, como também deixou um legado que até hoje influencia compositores dos mais diversos estilos musicais.

Para celebrar os 250 anos de nascimento de Beethoven, a Agência Brasil conta um pouco da história e da obra do compositor. Os áudios disponibilizados abaixo fazem parte de uma série de interprogramas em homenagem a esse gênio da música, veiculadas na Rádio MEC (da Empresa Brasil de Comunicação), com locução de Raquel Ricardo. Confira (para ouvir, clique nas imagens ou acesse. Se não conseguir ver o playerclique aqui):

 

Os primeiros passos (e notas)

 Ludwig van Beethoven nasceu em 17 de dezembro de 1770, na cidade de Bonn, na Alemanha. Filho de um tenor da corte real, Beethoven começou cedo sua relação com a música. Ensinado pelo pai, que o submetia a horas de estudo no piano, ele começou a se apresentar aos sete anos. Com dez anos, já dominava a obra completa de Bach.

Com 21 anos, Beethoven se mudou definitivamente para Viena, na Áustria, cidade onde se estabeleceu e se tornou um respeitado compositor. Aos 26 anos, os primeiros sintomas da surdez que o acompanhou por toda vida começaram a se manifestar. Entretanto, o problema de saúde não o impediu de criar suas mais famosas obras.

 Sem ouvir, mas com ouvido musical

 Aos 44 anos, Beethoven viu toda a música de sua vida ser substituída pelo mais absoluto silêncio. O compositor, que começou a demonstrar os primeiros sinais de surdez aos 26 anos, perdeu completamente a habilidade de escutar nesta idade, passando a se comunicar através de pequenos cadernos.

 Ele se mostrou, porém, incapaz de abandonar a música. Apesar da redução na quantidade de suas composições, aumentou a qualidade de sua produção. Foi neste período que compôs três de suas obras mais famosas: o Quarteto para Cordas (Opus 131), a 9ª Sinfonia e a Missa Solene.

 Um romântico clássico

 lém de compor peças memoráveis e premiadas, Beethoven foi, para muitos, precursor de uma nova era na música: a romântica. Apesar de iniciar a carreira em meio ao período clássico, marcado pelo ideal de racionalidade, compôs as últimas obras recheadas de drama, tensão, exploração harmônica e estrutural. Essas características se encaixam no contexto do movimento romântico.

Uma das principais transgressões musicais foi incluir solistas vocais e coros no movimento final da 9ª Sinfonia. Até então, esse gênero musical era exclusivamente instrumental. Não é possível dizer que ele tenha sido o “primeiro romântico”, mas foi o primeiro a mesclar os estilos. Um romântico clássico.

 Os últimos dias

Beethoven morreu em 26 de março de 1827. Não há certeza da causa da morte do compositor. Algumas versões apontam que ele morreu por problemas relacionados ao álcool. Outras apontam para morte por envenenamento com anuência de seu médico. Em suas últimas palavras, ele teria dito “aplaudam, amigos, a comédia terminou”. Verdade ou não, a despedida de Beethoven, em Viena, teve um público de cerca de 20 mil pessoas que aplaudiram uma trajetória que não acabou com a sua morte.

 Composições premiadas

 A prova de que a audição limitada não atrapalhou o talento de Beethoven está no reconhecimento de suas composições por parte do próprio meio da música clássica. Em 2016, a BBC Music Magazine fez uma votação entre 151 maestros para escolher as melhores sinfonias da história.

 Beethoven ganhou “medalha de ouro e de prata”. Eroica (a terceira sinfonia de Beethoven) ficou em primeiro lugar. O segundo lugar da lista ficou outra obra de Beethoven, a 9ª Sinfonia (chamada Coral). Ambas composições foram criadas quando ele já começava a ser acometido pela surdez (sendo que a 9ª Sinfonia foi composta quando ele já era completamente surdo).

 Legado no cotidiano

 A obra do compositor transcendeu a música clássica. Ela alcança pessoas que talvez nunca cheguem a saber quem era Beethoven. A prova disso é que composições dele podem ser escutadas nos espaços mais corriqueiros.

 Für Elise (Para Elise) pode ser escutada em esperas de telemarketing e até em caminhões distribuidores de gás de cozinha. A introdução da Sinfonia Nº 5 virou sinônimo para suspense enquanto a Ode a Alegria embala momentos vitoriosos em esportes. Sem contar trilhas que embalam espetáculos musicais ou filmes como, por exemplo, Laranja Mecânica ou Duro de Matar.

 

 * Com informações da Rádio MEC

Edição: Nathália Mendes

 
 

MT Nascentes: confira o resultado do maior de todos os editais da Lei Aldir Blanc em Mato Grosso

Cida Rodrigues 

 

Após adiamentos para consolidar a análise criteriosa das propostas inscritas no MT Nascentes, a Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel) divulgou no início desta terça-feira (01.12) o resultado preliminar do  maior de todos os editais da Lei Aldir Blanc em Mato Grosso.

A seleção pública, que recebeu 1.168 inscrições, conta com R$ 16,35 milhões para atender 445 projetos dos mais variados segmentos artísticos e culturais do estado. Inicialmente, a lista de projetos selecionados, classificados, inabilitados e desclassificados está relacionada por ordem alfabética dos nomes dos proponentes. Até o fim do dia, a mesma lista será publicada com a relação dividida por segmento/categoria. 

Artes cênicas e visuais, literatura, música, artesanato, patrimônio histórico, infância e culturas de matrizes africanas, urbanas e LGBTIA+ foram acolhidas no edital, que contempla ainda ações formativas, bibliotecas comunitárias e produções audiovisuais.

O segmento com mais projetos apresentados foi o da música, com 25% de inscrições, seguido por artes cênicas (14,90%) e literatura (13,90%). As categorias com menos propostas inscritas foram as de implantação, revitalização e valorização de bibliotecas comunitárias. 

Com demanda livre na maior parte das oportunidades, as propostas puderam ser apresentadas no formato de execução desejado pelo proponente. Nesses casos, só precisavam ter relação direta com a manifestação artística referenciada na categoria disputada.

Entretanto, as ações formativas, os projetos relacionados às bibliotecas comunitárias e a produção de audiovisuais deviam ser inscritas com formatos especificados na seleção pública. O audiovisual, por exemplo, abrangia os formatos de documentário, animação, game ou ficção.

Assim como nos demais editais da Lei Aldir Blanc lançados pela Secel, o MT Nascentes levou em conta as condições sociais e econômicas dos proponentes nos critérios de seleção. Também foram ponderados aspectos norteadores como relevância, efeito multiplicador e viabilidade do projeto.

Resultado e recursos

O resultado preliminar está disponível no site www.cultura.mt.gov.br/editais. Link direto da lista AQUI.

Constam como selecionados os projetos com maiores pontuações considerando a quantidade a ser contemplada na respectiva categoria. A relação de classificados se refere às propostas habilitadas mas que não receberam pontuação suficiente para as vagas disponíveis. As inscrições que não apresentaram toda a documentação exigida no edital são relacionadas como inabilitadas. Já os projetos que obtiveram pontuação abaixo de quarenta pontos ou que zeraram nos itens relacionados aos aspectos norteadores foram listados como desclassificados.

A lista de projetos selecionados pode variar após o julgamento dos recursos. Os proponentes que desejam recorrer devem requerer e encaminhar os itens necessários para reavaliação até no máximo quinta-feira (03.12), já que o prazo para recurso é de dois dias após a publicação do resultado.

As solicitações de informação e de reavaliação devem ser encaminhadas ao e-mail edital.mtnascentes@secel.mt.gov.br


Edital Conexão Cultura Jovem vai fomentar laboratórios de comunicação e cultura em comunidades carentes

Com investimento de R$ 1 milhão serão selecionados cinco projetos que receberão R$ 200 mil cada um. Inscrições até 12 de novembro

Cida Rodrigues 

Ajudar a fortalecer ecossistemas comunicativos com foco em práticas culturais da própria comunidade por meio de ações formativas. Esse é o objetivo da quinta seleção pública aberta pela Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel) para execução da Lei Aldir Blanc em Mato Grosso.

Com investimento de R$ 1 milhão, o edital Conexão Cultura Jovem vai selecionar cinco projetos para a instalação e gestão de laboratórios de comunicação e cultura (LabCom). O laboratório deverá ser instalado em comunidade que apresente índice preocupante de vulnerabilidade social, ofertar oficinas temáticas de educomunicação para no mínimo 20 alunos e funcionar por pelo menos quatro meses. 

Além promover conceitos de educomunicação e protagonismo juvenil e incentivar o compartilhamento de experiências, os cursos oferecidos irão contemplar os eixos temáticos de criação, conteúdo, redes sociais e planejamento de projetos sociais. Design gráfico, edição de vídeo, ferramentas do jornalismo, técnicas de marketing digital, criação de projetos e captação de recursos são alguns dos conteúdos a serem ofertados.

Cada projeto vai receber R$ 200 mil para, dentre outros itens, providenciar  material de consumo, aluguel de instalações, máquinas, equipamentos e laboratórios necessários e desenvolvimento de softwares ou aplicativos. Também estão inclusas a contratação de coordenação pedagógica responsável pela concepção e metodologia das oficinas e ainda o custeio de uma bolsa no valor de R$ 400 mensais por aluno.

Nesse edital, podem se inscrever somente pessoas jurídicas, com ou sem fins lucrativos, e que estejam sediadas em Mato Grosso nos últimos seis meses. A seleção pública tem o objetivo de celebrar um Termo de Compromisso Especial.

“Queremos contribuir com a capacitação de jovens nas periferias dos municípios mato-grossenses a partir de suas vivências culturais. Com base na realidade local, esses projetos ajudarão a empoderar muitos jovens, educando sobre a importância da informação e de seu papel na sociedade. É um edital que deixará um legado maravilhoso”, salienta o titular da Secel, Alberto Machado.  

Serviço

Edital Conexão Cultura Jovem

Projetos beneficiados: 05

Valor total: R$ 1 milhão

Acesso ao edital: AQUI

Prazo para inscrição: 12 de novembro


Faça sua vida valer a pena, honre o que Deus te deu!!

 Widson Ovando

Deus é único em sua sabedoria, usa as ferramentas mais comuns e básicas, nós seres ignorantes, não reconhecemos, estamos preocupados com nosso próprio umbigo, “amai o próximo como a ti mesmo”, quem faz isso, em tempos de Pandemia, de terror,24 horas, “ não julgues, para que não sejas julgado, antes te coloque no lugar dele, ou ao saber já estará condenado”.

Cada um querendo se safar, da maneira mais fácil, e de modo que não coloque  em risco os seus paradigmas, seus costumes, sua zona de conforto, porque? Mudar é ruim, estou bem, para que vou me preocupar com o próximo?, mesmo que seja próximo, cada um com seus problemas!, mesmo que ajudamos indiretamente nestes pseudos detalhes de problemas , sempre dizemos:” não é problema meu”!!

Estamos todos defendendo o que é certo, para cada modo de vida, mas e ai? É certo?, a resposta vem do interior de cada um!

Ás vezes vamos do Norte ao Sul. Pensando que aquela trajetória é em função de alguma  coisa que não poderíamos deixar passar, e até nos beneficiamos disso, usamos estas situações para mascarar outras. Deus na sua perfeição, coloca de outro modo,  ele usa ferramentas pra trazer você para outras situações, sempre boas, porque , mesmo que você ache que não seja, não entende, mais tarde, vai ver que foi boa.

Não existe o mal ou bem, tudo vem de Deus,às vezes pensamos no momento que é ruim (o mal), mas lá na frente vamos entender o propósito dele, por isso: “Tudo no tempo divino”.

Já parou pra pensar, que ás vezes poderíamos ter uma consciência mais leve, em relação a alguma coisa que deixamos passar, ou seja, na acomodação, no momento, valorizamos  outras prioridades, e deixando de lado essa ação,e  de repente não resolvendo isso, levamos isso pra vida toda!

São reflexões, que devemos fazer  no dia-a-dia, são detalhes, que ás vezes nos consomem.

Mudamos todos! Nada mais é como era antes, muita gente reluta em querer essas mudanças, mas , ELE, está fazendo isso, compare, veja, lembre, mesmo sabendo que o passado foi, e o futuro é incerto, apenas o presente importa, então, uma reação é mais importante do que um  simples pensamentos, reaja, faça!.

Mas nós podemos mudar, se quisermos e acreditarmos, depende de cada um!......

Widson Ovando/12-09-2020


MTur e Secult liberam R$ 1,2 milhão para ações culturais da Biblioteca Demonstrativa do Brasil

Iniciativa faz parte do processo de reabertura e da comemoração do cinquentenário do local, comemorado em 2020

Vanessa Castro 

O Ministério do Turismo e a Secretaria Especial da Cultura assinaram, nesta quarta-feira (19.08), um edital de chamamento público que vai selecionar uma Organização da Sociedade Civil (OSC) para executar o projeto de programação cultural da Biblioteca Demonstrativa do Brasil. A iniciativa, que está orçada em R$ 1,2 milhão, ocorre por ocasião da reabertura do espaço ao público, prevista para novembro deste ano, e da comemoração do cinquentenário da Biblioteca, comemorado em 2020. (Acesse aqui o edital)

O secretário-executivo do Ministério do Turismo, Daniel Nepomuceno, destacou a importância da ação para a cultura e educação brasileira. “É um momento especial. Esta é a valorização do nosso espaço, da cultura, da educação e é a concretização do nosso trabalho. Tenho certeza que ações como essa serão valorosas para muitos brasileiros que tiveram esse espaço como parte da sua história e cultura”, disse.

O termo de colaboração envolve a execução de uma agenda cultural a ser promovida no local por um período de 15 meses. Entre as atividades a serem desenvolvidas estão: espetáculos de dança, teatro, música e exposições; atividades pedagógicas, como ações literárias, oficinas e cursos; e atividades de promoção da economia criativa e do empreendedorismo cultural, como oficinas de empreendedorismo, fotografia, artesanato, games e aplicativos.

Para o secretário Especial da Cultura, Mário Frias, este edital é mais uma prova da atenção do governo à Cultura, como forma de incentivar a manutenção de atividades na área em meio à pandemia e fomentar o desenvolvimento do setor no futuro. “A Biblioteca é um patrimônio do povo. Sabemos da importância da literatura e da renovação dessa comunicação com os jovens. Um povo que não celebra a sua história dificilmente vai encontrar um caminho para um futuro”, concluiu.

As atividades desenvolvidas no âmbito da colaboração serão transmitidas ao vivo e ficarão disponíveis nas redes sociais e plataformas digitais da Biblioteca Demonstrativa do Brasil.

As propostas deverão apresentadas pelas OSCs por meio da Plataforma +Brasil, no Programa 5400020200014 e deverão ser cadastradas e enviadas para análise até às 23h59 do dia 28 de setembro de 2020.

Acesse aqui os documentos do edital no 1-2020: Programação Cultural BDB.

 


Recursos da lei “Aldir Blanc” serão transferidos pela Plataforma +Brasil

Gestores locais devem enviar informações, a partir do próximo sábado, para recebimento do recurso

A partir do próximo sábado , os estados e municípios do país deverão enviar as informações solicitadas pelo governo federal para o recebimento do recurso previsto pela lei “Aldir Blanc” – auxílio emergencial destinado ao setor cultural. A transferência do montante será operacionalizada pela Plataforma +Brasil, do Ministério da Economia. Ao todo, serão encaminhados R$ 3 bilhões via fundo cultural ou CNPJ, conforme definido pelo ente da federação.

Segundo o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, esse é um passo primordial para apoiar o setor que foi fortemente afetado pela pandemia do novo coronavírus. “Daremos aos artistas, contadores de histórias, produtores, técnicos e demais trabalhadores do setor, contemplados pela lei, um respiro para que possam atravessar esse momento tão difícil e para que possam continuar a levar cultura a todos os brasileiros. Contamos com a ajuda dos estados e municípios para agilizar esse processo e fazer com que estes profissionais possam logo ter esse recurso em mãos”, destacou.

O secretário Especial da Cultura, Mário Frias, declarou que essa ação se soma a outras medidas estão sendo desenvolvidas para dar sobrevida ao setor cultural. “Estamos trabalhando em alguns planos para que possamos proteger e desenvolver a cultura do nosso país. Tenho certeza que este recurso chegará em boa hora para que os que mais precisam e aliado as demais medidas ajudará os mais diversos artistas nacionais à sobreviverem”, disse.

Para auxiliar o cadastro na Plataforma +Brasil, o Ministério da Economia disponibilizou dois tutoriais: o primeiro, com informações para a validação do cadastro dos gestores locais e um segundo com um passo-a-passo para o cadastramento do respectivo fundo cultural, para aqueles que optarem por indicar esse meio como executor dos recursos. Além disso, a Pasta irá tirar dúvidas por meio do canal de teleatendimento, no número 0800 978 9008.

 


Congresso promulga MP que regulamenta auxílio a setor cultural

Medida aprovada em julho foi publicada hoje no Diário Oficial

Por Andreia  Verdélio 

O presidente do Congresso Nacional, Davi Alcolumbre, promulgou a Lei nº 14.036/2020, originada da Medida Provisória (MP) nº 986/2020, que define as regras de repasse dos recursos ao setor cultural, conforme previsto pela Lei Aldir Blanc, sancionada em junho.

A medida, aprovada em julho pelo Congresso, foi publicada hoje (14) no Diário Oficial da União.

O texto prevê prazo de 120 dias para que estados, municípios e o Distrito Federal repassem os R$ 3 bilhões de recursos federais destinados a ações emergenciais no setor cultural. Os valores do auxílio que não forem utilizados deverão ser devolvidos à União. Uma nova regulamentação ainda deve informar a forma e o prazo para essa devolução.

De acordo com a lei, a aplicação dos recursos está limitada aos valores liberados pelo governo federal. Caso prefeitos e governadores queiram aumentar o valor dos benefícios repassados, deverão fazer a complementação com recursos próprios.

A Lei nº 14.017/2020, que instituiu o auxílio financeiro, foi chamada de Lei Aldir Blanc em homenagem ao escritor e compositor de 73 anos que morreu após contrair covid-19, em maio, no Rio de Janeiro. As atividades do setor -–cinemas, museus, shows musicais e teatrais, entre outros - foram umas das primeiras a interromper as atividades como medida de prevenção à disseminação do novo coronavírus no país.

O texto da lei prevê o pagamento de três parcelas de um auxílio emergencial de R$ 600 mensais para os trabalhadores da área cultural, além de subsídio para manutenção de espaços artísticos e culturais, microempresas e pequenas empresas culturais, cooperativas e organizações comunitárias. Esse subsídio mensal terá valor entre R$ 3 mil e R$ 10 mil, de acordo com critérios estabelecidos pelos gestores locais.


Escritora e fundadora da UFMT morre com novo coronavírus

GD

Uma das fundadoras da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e ex-presidente da Academia Mato-grossense de Letras (AML), a professora Marília Beatriz de Figueiredo Leite, 76 anos, morreu por complicações da covid-19 nesta sexta-feira (03).

A reportagem , a irmã de Marília Beatriz, Moema de Figueiredo Leite, afirmou que a professora estava internada em leito de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) desde o último domingo (28).

Moema de Figueiredo apontou que a irmã tinha diversas comorbidades para a covid-19, como enfisema pulmonar, hipertensão e um quadro de problemas nos rins do qual a família desconhecia.

 O local onde a imortal da AML será enterrada ainda não foi confirmado, mas há previsão de que o rito seja realizado no Cemitério Parque Bom Jesus de Cuiabá, localizado no bairro Parque Atalaia.

 À reportagem, Moema de Figueiredo disse que a família tentará realizar o desejo de Marília Beatriz de ter seus restos mortais cremados. Contudo, a realização do rito fúnebre ainda é incerta devido ao fato de a professora ter morrido pelo coronavírus.

 Marília Beatriz era mestra em Comunicação e Semiótica pela Pontíficia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) e ocupava a cadeira número dois da Academia Mato-grossense de Letras. Além de professora, era também escritora e publicou os livros "O mágico e o olho que vê", "De(sig)Ação: arquigrafia do prazer" e "Viver de véspera".


Instituto Cultural Casarão das Artes mobiliza distribuição de 260 cestas básicas

O Instituto Cultural Casarão das Artes é um dos 32 Pontos de Cultura apoiados pelo Governo de Mato Grosso via
 
Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer
Assessoria

Com a situação de pandemia, muitas pessoas estão sem trabalho e renda. Por isso, no sábado (20), 260 famílias em situação de vulnerabilidade social do bairro Pedra 90 e região, em Cuiabá, foram beneficiadas com cestas básicas e produtos de higiene pessoal.

A iniciativa, uma parceria entre a Amaggi e o programa SESC Mesa Brasil, teve na linha de frente o Instituto Cultural Casarão das Artes, um dos 32 Pontos de Cultura apoiados pelo Governo de Mato Grosso via Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer. 

Os alimentos foram distribuídos para famílias atendidas pela Associação de Moradores do Loteamento Jardim São Paulo - Pedra 90, Ilê Asè São Cosme e Damião e projeto Só Alegria, parceiros do Casarão das Artes. A ação é uma iniciativa da campanha Um por Todos e Todos contra Covid-19.

DJ Taba - Favela Ativa

Para Vini Hoffman, idealizador Instituto Cultural Casarão das Artes, a iniciativa vai ajudar muitas famílias necessitadas, afetadas diretamente pela crise sanitária.

“Uma ação muito importante! Muitas das famílias do Pedra 90 não tem renda, trata-se de um lugar muito periférico. Com a crise, muitas pessoas perderam empregos e não conseguem se manter da mesma forma que se mantinham antes da pandemia”, explica.

Para saber mais sobre o Instituto Cultural Casarão das Artes, clique AQUI.


Conheça a Lei de Emergência Cultural aprovada na Câmara Federal

  
O projeto de lei (PL 1075/20) destina R$ 3 bilhões para ações emergenciais no setor cultural. Proposta segue agora
 
para aprovação do Senado

Cida Rodrigues 

A Câmara Federal aprovou na terça-feira (26.05), o projeto de lei (PL 1075/20) que destina R$ 3 bilhões para ações emergenciais de ajuda ao setor cultural durante a pandemia da Covid-19. Chamado de Lei de Emergência Cultural, o texto aprovado traz as fontes de financiamento e prevê a descentralização dos recursos a estados e municípios para fortalecer o Sistema Nacional de Cultura. A proposta segue agora para aprovação do Senado Federal.

Para o titular da Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel/MT), Allan Kardec, a Lei vai ajudar muito a classe artística de Mato Grosso e irá refletir diretamente nas ações da pasta, a exemplo de outros projetos já realizados nesse período, como o Festival Cultura em Casa e o Cachê Solidário.

“Comemoramos a primeira etapa de aprovação, e esperamos que seja rápida também a aprovação no Senado. É uma maneira de fazer com que nossa economia da cultura não pare, que pais de família, que homens e mulheres, que fazem a cultura por vocação e profissão, sejam respaldados nesse momento de isolamento social, uma vez que foi o segmento mais afetado”, complementa o secretário. 

O projeto de lei, de autoria da deputada federal Benedita da Silva, foi aperfeiçoado com propostas de outros deputados que tramitaram apensados, sendo aprovado na forma do substitutivo.  A relatora do projeto, a deputada Jandira Feghali, sugeriu ainda que a lei seja chamada de “Aldir Blanc”, homenagem ao artista vitimado pelo novo coronavírus.

Entre outros pontos, a proposta garante um auxílio emergencial de R$ 600 mensais aos trabalhadores do setor, subsídios a espaços artísticos e culturais, criação de linhas de crédito, e prorrogação de prazos para aplicação de recursos de projetos já aprovados pelo Executivo. Os recursos também poderão aplicados em instrumentos de incentivo à cultura, como editais, chamadas públicas e prêmios.

Repassamos abaixo mais informações da Lei de Emergência Cultural “Aldir Blanc” (Fonte: Agência Câmara de Notícias).

Descentralização

Os recursos serão repassados pelo governo federal aos demais entes federados em até 15 dias da publicação da lei e serão aplicados utilizando os fundos de cultura.

O dinheiro será dividido pelo seguinte critério: metade do valor (R$ 1,5 bilhão) ficará com os estados e o DF, sendo 80% de acordo com a população e 20% pelos índices de rateio do Fundo de Participação dos Estados (FPE).

A outra metade ficará com o DF e os municípios, seguindo os mesmos critérios: 80% segundo a população e 20% segundo o Fundo de Participação dos Municípios (FPM).

Auxílio a trabalhadores

O texto prevê auxílio emergencial de R$ 600, pagos em três parcelas, para trabalhadores da área cultural com atividades suspensas por conta da pandemia. Esse benefício contempla artistas, produtores, técnicos, curadores, oficineiros e professores de escolas de arte. O auxílio poderá ser prorrogado no mesmo prazo do auxílio emergencial do governo federal aos informais.

Para receber a renda emergencial, os trabalhadores devem cumprir vários requisitos, como limite de renda anual e mensal; comprovação de atuação no setor cultural nos últimos dois anos; ausência de emprego formal; e não ter recebido o auxílio governamental dos informais.

O auxílio não será concedido a quem receber benefício previdenciário ou assistencial, seguro-desemprego ou valores de programas de transferência de renda federal, exceto o Bolsa Família.

O recebimento dessa renda emergencial está limitado a dois membros da mesma unidade familiar. A mulher provedora de família monoparental receberá duas cotas (R$ 1,2 mil).

Subsídios a espaços culturais
Os governos poderão repassar entre R$ 3 mil e R$ 10 mil mensais para manter espaços artísticos e culturais, micro e pequenas empresas culturais, cooperativas e instituições e organizações culturais comunitárias que tiveram as suas atividades interrompidas por força das medidas de isolamento social.

Poderão receber essa ajuda aqueles inscritos em cadastros estaduais, municipais ou distrital, em cadastros de pontos e pontões de cultura, no Sistema Nacional de Informações e Indicadores Culturais (Sniic) ou no Sistema de Informações Cadastrais do Artesanato Brasileiro (Sicab).

Podem ter acesso também aqueles com projetos culturais apoiados pelo Programa Nacional de Apoio à Cultura (Pronac) nos 24 meses anteriores contados da data de publicação da futura lei.

Exemplos de espaços culturais

O substitutivo lista 25 exemplos de espaços culturais aptos a pleitear o subsídio mensal, tais como teatros independentes; escolas de música, dança, capoeira e artes; circos; centros culturais; museus comunitários; espaços de comunidades indígenas ou quilombolas; festas populares, inclusive a cadeia produtiva do Carnaval; e livrarias.

Entretanto, não poderão receber o auxílio aqueles vinculados à administração pública ou criados ou mantidos por grupos de empresas ou geridos pelos serviços sociais do Sistema S.

Em contrapartida, o substitutivo prevê a obrigação de realizar, gratuitamente, uma atividade cultural por mês para alunos de escolas públicas ou em espaços públicos de sua comunidade.

Fomento

O substitutivo direciona 20% dos recursos totais repassados para iniciativas vinculadas à compra de bens e serviços para o setor cultural, a prêmios e outros gastos voltados à manutenção de agentes, espaços, iniciativas, cursos, produções e desenvolvimento de atividades de economia criativa e solidária.

Crédito

O texto autoriza a criação de linhas de crédito de instituições financeiras para fomento de atividades, aquisição de equipamentos e renegociação de dívidas. Também serão prorrogados por um ano os prazos para aplicação de recursos no setor em projetos culturais já aprovados pelo Executivo.

Enquanto durar a calamidade e a pandemia, o Programa Nacional de Apoio à Cultura e outros programas de apoio à cultura devem priorizar atividades que possam ser transmitidas pela internet.


Edital irá selecionar 170 ações e projetos de profissionais da cultura de MT

As inscrições estão abertas até 22 de abril, e os candidatos podem se inscrever pela internet ou diretamente na Secel.

Graciele Leite 

 

Para incentivar os cidadãos mato-grossenses a ficarem em casa, a Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel) lançou nesta quarta-feira (15.04) o edital Festival Cultura em Casa, que prevê a contratação de 170 ações e projetos de profissionais da cultura de Mato Grosso prejudicados pela pandemia do coronavírus. A proposta é promover uma programação cultural regional online, com apresentações artísticas, exibição de obras de cinema, debates, oficinas e palestras, que serão transmitidas pela internet.

O lançamento foi feito em uma transmissão ao vivo pelas redes sociais da Secel e da primeira-dama Virginia Mendes, direto do Cine Teatro Cuiabá. Com o público conectado de casa, já que o espaço cultural está fechado por causa das medidas de enfrentamento da pandemia, o secretário Allan Kardec Benitez e o adjunto de Cultura José Paulo Traven fizeram a apresentação do edital em meio aos risos provocados por comadre Nhara, personagem cuiabana que marcou presença na live com o show Cuiabá Digoreste, de André D’Lucca.

Comadre Nhara durante lançamento do Festival Cultura em Casa
Créditos: João Milano

Durante a transmissão ao vivo, o secretário Allan Kardec lembrou que, pela necessidade de ficar em casa, os cidadãos agora trabalham, estudam e consomem cultura pela internet, e com o edital eles poderão receber cultura mato-grossense também de casa.

"Com a quarentena, quem está em casa assiste filme, ouve música, lê um livro, trabalha e estuda pela internet. E a Secel vai fomentar a economia da cultura a partir da casa do cidadão. Neste momento de crise, os profissionais da cultura estão passando dificuldades, e o edital será uma fonte de renda. De outro lado, quem está em casa poderá conhecer e curtir o trabalho dos artistas mato-grossenses", destacou o secretário. Ao todo, serão investidos R$ 300 mil no Festival Cultura em Casa.

Na ocasião, Traven ressaltou o alcance do Festival, que beneficiará 300 profissionais da Cultura com a contratação de 170 ações culturais. "O objetivo deste edital é proporcionar trabalho e renda para artistas, produtores e agentes culturais, enfim, trabalhadores da cultura que hoje estão sem renda em função da pandemia. É papel da Secel fomentar o trabalho desses profissionais, proporcionando uma nova forma de apresentar o trabalho deles pelas redes sociais".

Ele também lembrou que, além das atrações artísticas e culturais, o edital prevê a contratação de um produtor cultural para trabalhar no Festival e um comunicador para fazer o trabalho gráfico e dar suporte técnico nas transmissões ao vivo pelas redes sociais.  

Arte Cultura em Casa
Créditos: Divulgação

Dando continuidade às transmissões ao vivo pela internet, o secretário Allan também anunciou que toda quarta-feira haverá uma nova apresentação cultural online em parceria com artistas mato-grossenses. Na próxima quarta (22.04) será transmitido nas redes sociais o show em comemoração aos 25 anos do trio Pescuma, Henrique e Claudinho.

Ações paralelas

Além do Festival Cultura em Casa, a Secel vai promover outras ações paralelas para fomento da cadeia produtiva da cultura. Entre elas, venda de ingressos solidários, o estímulo à contratação de serviços de artistas para serem prestados pós isolamento social e a entrega do Certificado Amigos da Cultura para pessoas físicas e jurídicas que contribuírem com o programa.

Durante a realização do Festival, a Secel e os profissionais da cultura contratados irão divulgar a campanha Vem Ser Mais Solidário, que arrecada de alimentos, itens de higiene e limpeza para a população prejudicada pela pandemia do coronavírus. A campanha é coordenada pela primeira-dama Vírginia Mendes, por meio da Unidade de Ações e Atenção à Família (Unaf), e a Secretaria de Estado de Assistência Social e Cidadania (Setasc).

Inscrições

As inscrições ficam abertas até quarta-feira (22.04), e podem ser feitas pela internet. O candidato deverá acessar o site cultura.mt.gov.br/editais - Festival Cultura em Casa - preencher e enviar o formulário de inscrição. Os demais documentos deverão ser enviados ao email spc@secel.mt.gov.br ou no ato da contratação.

Outra opção é fazer a inscrição via correios e/ou protocolo da Secel, das 8h às 12h, apresentando todos os documentos exigidos pelo edital. 

Para participar, o candidato deverá residir em Mato Grosso, ser trabalhador da cultura e viver exclusivamente da renda do trabalho artístico e cultural. Não poderá ter vínculo empregatício ou contrato contínuo de trabalho vigente, nem receber pensão, aposentadoria, seguro-desemprego ou auxílio do Programa de Transferência de Renda Federal (excetos Bolsa Família e Auxílio Emergencial Coronavírus Covid-19).

Serviço:

A Secel está localizada na Avenida José Monteiro de Figueiredo (Lava Pés), 510, bairro Duque de Caxias, Cuiabá-MT, CEP: 78043-300. O atendimento ao público para o edital será das 8h às 12h. Mais informações: spc@secel.mt.gov.br


Profissionais da cultura, esporte e lazer poderão receber auxílio emergencial

Aplicativo para cadastramento foi disponibilizado pelo Governo Federal nesta terça-feira (07.04)

Cida Rodrigues 

Os profissionais autônomos, informais e microempreendedores individuais (MEI) dos setores culturais, do esporte e lazer também têm direito ao auxílio emergencial instituído como proteção social durante a crise causada pela pandemia do coronavírus.

Para receber as três parcelas de R$ 600 a R$ 1200, os profissionais devem se cadastrar no site www.auxilio.caixa.gov.br ou pelo aplicativo CAIXA | Auxílio Emergencial, disponível a  partir desta terça-feira (07.04). O acompanhamento do cadastro será feito no próprio site ou aplicativo.

Trabalhadores que não possuem vínculo empregatício e atuam de forma autônoma como artistas, técnicos e produtores culturais, recreadores, animadores de festas e educadores físicos são alguns dos possíveis beneficiários do auxílio. 

“Muitos profissionais da área de cultura, esporte e lazer precisam desse recurso, pois foram os primeiros a parar de trabalhar por conta do acesso fechado aos ginásios, estádios, academias, museus, galerias, cinemas, bares, enfim, e serão os últimos a voltar a trabalhar. Essa é uma ajuda que será importante”, relata Allan Kardec, titular da Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel), Allan Kardec.

A pasta também programa lançar editais próprios e apoiar iniciativas que promovam a geração de renda dos profissionais dos setores cultural e esportivo. Dentre os projetos previstos, o edital Arte e Cultura em Meios Digitais vai propor a transmissão de programação cultural pela internet e a venda de ingressos solidários possibilitará a contratação antecipada de serviços para realização após o período de pandemia. 

“Nós da Secel estamos preparando vários movimentos para contribuir com a classe artística e esportiva nesse momento de crise. Preparamos editais e outros projetos como o pagamento de cachês antecipados para shows e de incentivo a pessoas físicas e jurídicas para contribuírem com os programas de geração de renda do setor e doação de donativos”, informa o secretário.

O Auxílio Emergencial

Além dos trabalhadores que não têm carteira assinada, autônomos e MEIs, desempregados e contribuintes individuais da Previdência Social também podem se cadastrar para receber o benefício.

É necessário ter mais de 18 anos e renda familiar mensal por pessoa de até meio salário mínimo (R$ 522,50) ou renda familiar mensal total de até três salários mínimos (R$ 3.135,00). Quem teve rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 em 2018 não tem direito ao auxílio.

Os trabalhadores registrados no Cadastro Único (CadÚnico) até 20 de março já estão aptos para receber a ajuda. Os demais irão preencher uma ficha de autodeclaração de renda média familiar (disponível no aplicativo) que será verificada para aprovação do pagamento.

O valor será depositado por três meses, mas o período da ajuda poderá ser prorrogado. Anunciado pelo Governo Federal nesta terça-feira (07.04), o calendário inicial de pagamentos prevê que as parcelas comecem a ser pagas entre os dias 09 e 14 de março. As demais parcelas serão pagas de acordo com o mês de aniversário do beneficiário, no período de 27 de abril a 29 de maio. 

Primeira parcela: até 14 de abril (clientes da Caixa Econômica Federal e do Banco do Brasil poderão receber antes, direto na conta);

Segunda parcela: entre 27 e 30 de abril;

Terceira Parcela: entre 26 e 29 de maio.

 


Artes plásticas, humor e teatro são opções para o fim de semana

Graciele Leite

A Casa Cuaiabana recebe nos meses de março e abril a exposição "Achados, arte e sustentabilidade", da artista Janete Hartmann. A mostra traz pinturas feitas com materiais reciclados, que remetem ao campo e à natureza pura, convidando o público a um momento de contemplação.

A abertura será nesta sexta-feira (14.03), às 19h30. Outras atrações culturais do fim de semana são os shows de humor da dupla Nico e Lau e o espetáculo Almê 20 anos, ambos no Cine Teatro Cuiabá. O espaço também será palco da peça Bereu, com o Grupo Cena Onze.

A exposição de artes "Achados, arte e sustentabilidade" fica aberta na Casa Cuiabana até 17 de abril, das 8h às 12h e das 14h às 18h. O nome da mostra busca uma simbologia com os materiais usados, encontrados em calçadas, caçambas, terrenos e dentro de casa.

Também na Casa Cuiabana, ocorre neste sábado (14.03) o 2° Encontro de Mulheres Aruandê Capoeira. O evento começa às 15h e contará com roda de conversa sobre a Mulher na Capoeira, oficina de samba de roda com Erica Salles e roda feminina de capoeira e maculelê.

No Cine Teatro Cuiabá, as atrações do sábado (14.03) são a dupla Nico Lau e o Grupo Cena Onze. Com o show "Canhain", os humoristas comemoram 25 anos da história. O Grupo Cena Onze traz ao palco a peça ‘Bereu’, contando um pouco da experiência de mais de dez anos de convivência com mulheres reeducandas de Cuiabá.

No domingo (15.03), André D’Lucca incorpora "Almê 20", um espetáculo comemorativo dos 20 anos da personagem. Na terça-feira (17.03), dentro da programação da Temporada de Filmes, o Cine Teatro Cuiabá exibe "Vermelho Sol", premiado em 2018 nas categorias melhor diretor, melhor fotografia e melhor ator no Festival de Toronto, no Canadá.

Bereu - Grupo Cena Onze
Créditos: Divulgação

Na segunda-feira (16.03), o Cine Teatro Cuiabá recebe o primeiro evento da "Série Encontros com a Cultura", realizado pela Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel) para apresentação do planejamento estratégico do órgão e exposição das ações desenvolvidas em 2019. Na ocasião, haverá a palestra "Políticas Culturais e a agenda 2030 para o desenvolvimento sustentável: novos desafios para o planejamento e a gestão cultural das cidades", com Cláudia Leitão.

Outras opções em equipamentos culturais sob gestão da Secel são o Museu de História Natural Casa Dom Aquino, Museu de Arte Sacra de Mato Grosso, Residência dos Governadores e a Galeria de Artes Lava Pés (mostra coletiva de fotografia Olhares Cuyaverá).

Serviço

Casa Cuiabana - Rua General Vale, 181, bairro Bandeirantes. Telefone: (65) 3624-2064. Mais informações sobre a exposição (65) 98133 1110 e evento de capoeira (65) 99253 1234. Facebook

Cine Teatro Cuiabá - Avenida Presidente Getúlio Vargas, 247, Centro de Cuiabá. Telefone: (65) 2129-3848, Email: contato@cineteatrocuiaba.org.br, Site , Facebook Instagram

Museu de História Natural Casa Dom Aquino - Avenida Beira Rio, nº 2000, bairro Dom Aquino, Cuiabá. O funcionamento ao público é de quarta a domingo, das 8h às 18h. Entrada: R$ 6 (inteira) R$ 3 (meia). Facebook  e Instagram 

Museu de Arte Sacra de Mato Grosso - Praça do Seminário, na Rua Clóvis Hugney, 239, bairro Dom Aquino. Aberto à visitação de quarta-feira a domingo, das 9h às 17h. Ingresso R$ 10 e R$5 (meia). Visita gratuita aos domingos. Telefone: (65) 3056-1373, Email: museuartesacramt@gmail.com, Facebook  e Instagram 

Galeria de Artes Lava Pés - Avenida José Monteiro de Figueiredo (Lava Pés), 510, Duque de Caxias, Cuiabá-MT, CEP: 78043-300.  Funcionamento de segunda a sexta, das 8h às 18h. Telefone: (65) 3613-0232. Email: equipamentos@secel.mt.gov.br

Residência dos Governadores - rua Barão de Melgaço, nº 3565, Centro de Cuiabá. A entrada é gratuita. Aberto à visitação de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 14h às18h. Telefone: (65) 3613-0232. Email: equipamentos@secel.mt.gov.br


Regina Duarte diz que buscará diálogo e pacificação no setor cultural

Atriz assumiu nesta quarta-feira Secretaria Especial da Cultura

Por Andreia Verdélio 

A atriz Regina Duarte disse hoje (4), ao tomar posse na Secretaria Especial da Cultura, que espera o apoio do Legislativo para impulsionar projetos culturais no país e que vai “passar o chapéu” em busca de recursos para o setor. Ela afirmou ainda que buscará pacificação e diálogo permanente com o setor.

“Meu propósito aqui é pacificação e diálogo permanente com o setor cultural, com os estados e municípios, com o parlamento e com os órgãos de controle. O apoio do legislativo é indispensável para que se tornem reais os objetivos da tarefa que vamos inciar juntos a partir de hoje”, afirmou, durante cerimônia no Palácio do Planalto.

É possível “fazer muita cultura com os recursos que temos. Criativamente, como no meu tempo de amadora”, disse Regina. “Acredito também que se possa fazer mais com mais, acredito na busca da beleza e sabemos que beleza é inerente ao conceito de arte. E assim, na busca de uma beleza maior, vamos passar o chapéu, como de praxe, por que não? Se há vontade de fazer mais, e grande, e os recursos são escassos, vamos passar o chapéu, sim”, destacou.

Para Regina, a cultura é um dos principais pilares do desenvolvimento social e econômico do país, e uma cultura forte consolida a identidade de uma nação. “Uma nação tem que nutrir e zelar pela cultura do seu povo, democratizando, repartindo com equilíbrio as fatias do fomento para que todas as regiões possam viabilizar e expor sua produção e para que toda a população possa desfrutar da nossa magnífica expressão cultural.”

No discurso, Regina Duarte agradeceu o apoio da sua família, o incentivo dos fãs e anônimos e a confiança do presidente Jair Bolsonaro, do ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, e de sua nova equipe de trabalho. A Secretaria Especial da Cultura está ligada ao Ministério do Turismo.

“Estamos unidos aos milhões de brasileiros, uma gente que deseja e merece viver em um país onde a cultura seja passaporte para uma vida plena, recheada de sonhos, de fantasias, emoções, momentos felizes, sempre. E que cultura seria essa geradora da tenta felicidade, dona Regina? Para começar, acho que seria alguma coisa que não passasse nem perto do conceito de domínio. Falo de cultura como libertação, dessa argamassa de hábitos e comportamentos, rituais e costumes que se autofertilizam no seio do povo”, destacou a secretária.

Lei Rouanet

A atriz foi convidada pelo presidente Jair Bolsonaro para assumir o cargo de secretária especial da Cultura após a exoneração do dramaturgo Roberto Alvim, em janeiro deste ano.

Em discurso, Bolsonaro disse que, assim como os ministros, Regina Duarte terá liberdade para montar sua equipe. A expectativa do presidente é que a nova secretária impulsione os mecanismos culturais disponíveis, como a Lei Federal de Incentivo à Cultura, conhecida como Lei Rouanet.

“A definição de cultura se resume a um conjunto de hábitos, crenças e conhecimentos. E, com esse propósito, depois de um ano de governo, nós achamos, tenho certeza, a pessoa certa que pode valorizar, por exemplo, a Lei Rouanet, tão mal utilizada no passado”, disse o presidente.

Em abril do ano passado, o governo anunciou mudanças para o financiamento de projetos culturais, como a redução do teto de valores financiados de R$ 60 milhões para R$ 1 milhão.

A cultura “vai muito além do que nós pensamos” e influencia na economia, afirmou o presidente. “Lógico que não é palpável”, destacou. “A música [por exemplo], é um ânimo, é uma injeção de coragem em você, e nós temos que resgatar isso, e o tempo voa”, disse Bolsonaro, ressaltando que o governo está, “de forma tímida, apenas começando a escrever a cultura”.

Carreira

Filha de pai militar e de mãe professora de piano, mãe de três filhos e avó de seis netos, Regina Duarte nasceu no dia 5 de fevereiro de 1947.

Regina trabalha como atriz há 55 anos. Atuou em dezenas de novelas, sendo um dos rostos mais conhecidos da televisão brasileira.

Seus papéis mais marcantes foram em folhetins como Selva de PedraIrmãos CoragemVale TudoRoque Santeiro e Rainha da Sucata e no seriado Malu Mulher. Regina Duarte interpretou a personagem Helena em três obras do autor Manoel Carlos (História de AmorPor Amor e Páginas da Vida).

Para assumir o cargo de secretária especial da Cultura, a atriz encerrou seu contrato com a TV Globo.


Classe cultural prestigia entrega da obra e aprova revitalização

A entrega oficial foi realizada na noite desta segunda-feira (02) pelo governador Mauro Mendes, com a presença de
 
artistas, produtores culturais e público

Graciele Leite 

Artistas, produtores culturais, autoridades e público da Casa Cuiabana prestigiaram a entrega da obra de revitalização do equipamento cultural, nesta segunda-feira (02.03), em uma noite marcada por um clima de satisfação e nostalgia. Entre eles, o cantor e compositor Pescuma, que se apresentou com Henrique, Claudinho e convidados.

“É uma honra estar novamente neste palco que eu já pisei tantas vezes, esse patrimônio da cultura mato-grossense, agora lindo e revitalizado. Casa Cuiabana é tradição, ponto de encontro, história. Artistas, população, todos ganham com a entrega da obra”, disse o cantor.

Nessa atmosfera de sarau, com encontro de músicos de todos os gêneros no palco do teatro de arena, e apresentações de dança pelo quintal, o governador Mauro Mendes e o secretário de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel), Allan Kardec Benitez, fizeram a entrega oficial da obra e apresentaram o novo projeto de ocupação do espaço cultural.

“Este é um trabalho de resgate e valorização da cultura mato-grossense. Revitalizar a Casa Cuiabana é preservar nossa identidade, nossa história, nossas referências. E cuidar da cultura também é fazer o Estado avançar”, enfatizou o governador.

O clima de nostalgia marcou uma das integrantes da família que foi proprietária do imóvel. Pensylvânia Borralho é da terceira geração, ela conta que ouvia histórias do pai que passou muitas tardes visitando a tia naquele quintal cuiabano. “Estou emocionada por ver que o intuito da família está sendo cumprido, que é esse uso do espaço para a valorização da cultura cuiabana”.

Em 2019, o espaço recebeu um público de 7.137 pessoas, alcançadas em eventos, cursos, exposições, ensaios e visitas. Durante a cerimônia de entrega, o secretário Allan Kardec apresentou o novo projeto de ocupação do espaço. A proposta é fazer da Casa Cuiabana um equipamento destinado à criação artística e co-working.

Além de ser aproveitado para os eventos e projetos de formação cultural, haverá salas equipadas para ensaios e apresentações de teatro e de dança e estúdio de som para gravação de música, além de todas as salas que receberão ar condicionado. Outra melhoria será no teatro de arena, que receberá uma tenda para ser usada em shows abertos, cobrindo a área quando houver necessidade.

“Estou muito feliz com o resultado, a Casa Cuiabana é um espaço emblemático, presente na memória da população cuiabana, é a casa da comunidade, dos artistas. Com a entrega da obra as ações aqui serão potencializadas”, disse o secretário Allan Kardec.

Benedito Nunes

Em memória ao artista plástico Benedito Nunes, que faleceu nesta segunda-feira (02.03), mesmo dia de entrega da obra de revitalização da Casa Cuiabana, seu legado e importância para a cultura mato-grossense foram lembrados na cerimônia. E duas obras (uma pintura e uma escultura) do artista ficaram expostas no jardim da Casa Cuiabana, durante todo o evento.

“Hoje foi um dia feliz e triste para a cultura mato-grossense. Entregamos mais um patrimônio cultural revitalizado, a Casa Cuiabana, tradicional espaço público de resistência cultural, no mesmo dia em que perdemos um grande artista, Benedito Nunes, vanguarda da resistência nas artes plásticas, cuja obra é um legado de sua presença entre nós. A reinauguração da Casa Cuiabana se torna, assim, um tributo à vida e obra deste grande cuiabano”, destacou o secretário Allan Kardec.

Abalados com a notícia da morte do amigo, artistas e produtores culturais decidiram ali mesmo pela realização de um sarau em prol da família. A data ainda será definida e o evento será na Casa Cuiabana. Até o momento, 20 obras já foram doadas para um leilão.

Obra na Casa Cuiabana

Após 10 anos sem receber uma obra completa de manutenção predial, a Casa Cuiabana foi revitalizada, com melhorias realizadas na infraestrutura. Entre elas a acessibilidade, instalações elétricas, hidráulica, esquadrias, cobertura, banheiros, forro, pavimentação, piso antiderrapante, praça, substituição do madeiramento e jardim. Uma das mudanças perceptíveis é a nova pintura, em tom de amarelo na fachada, que busca trazer a cor original da edificação, construída no século 18.

Patrimônio histórico e cultural desde 1983, vale ressaltar que a obra de revitalização respeitou e preservou as características originais do prédio. A novidade é o acesso à internet, que era uma demanda antiga dos usuários do espaço cultural, e agora será disponível para o desenvolvimento dos projetos.

Mesmo com a obra, que durou em torno de quatro meses, a Casa Cuiabana ficou aberta, e manteve a programação de eventos e projetos de formação de música, teatro, dança, informática, artes plásticas e capoeira.

Programação

Para o mês de março, há três eventos programados: Feira de Mulheres Empreendedoras (07.03), evento de capoeira (14.03) e Feira do Vinil e de Antiguidades (21.03), todos aos sábados. Também está aberta para o público a exposição Irigaray – Arte – Ikuiapá, com obras inéditas do artista, até o dia 07 de março.


Regina Duarte virá a Brasília conhecer Secretaria de Cultura

Atriz analisa convite de Bolsonaro para assumir cargo

Por Pedro Rafael Vilela

A atriz Regina Duarte virá a Brasília nesta semana para conhecer a estrutura da Secretaria Especial de Cultura. Ela e o presidente Jair Bolsonaro encontraram-se hoje (20), no Rio de Janeiro, para discutir sobre o futuro da pasta. O encontro foi no Aeroporto Santos Dumont pouco antes de Bolsonaro voltar a Brasília, às 15h, após visita ao prefeito do Rio, Marcello Crivella, e reunião com militares.

Regina Duarte foi convidada pelo presidente para assumir o cargo de secretária após a exoneração do dramaturgo Roberto Alvim, na semana passada. 

Regina Duarte
Regina Duarte - TV Brasil

"Após conversa produtiva com o presidente Jair Bolsonaro, Regina Duarte estará em Brasília na próxima quarta-feira, 22, para conhecer a Secretaria Especial de Cultura do governo federal", informou, em nota, a assessoria do Palácio do Planalto.

Sobre se aceita o convite, a atriz declarou, segundo a nota, que ela e o presidente estão "noivando". Em publicação no Twitter, o presidente Jair Bolsonaro disse que ele e Regina Duarte tiveram uma "excelente conversa sobre o futuro da cultura" no país

Jair M. Bolsonaro @jairbolsonaro
 
 

- Tivemos uma excelente conversa sobre o futuro da cultura no Brasil. Iniciamos um “noivado” que possivelmente trará frutos ao país.

Ver imagem no Twitter
 
8.152 pessoas estão falando sobre isso
 
 

Mãe de três filhos e avó de seis netos, Regina Duarte nasceu no dia 5 de fevereiro de 1947 e trabalha como atriz há 54 anos

Exoneração

O cargo de secretário especial da Cultura ficou vago após a exoneração de Roberto Alvim na última sexta-feira (17), depois da repercussão negativa de um vídeo sobre o lançamento do Prêmio Nacional das Artes. Divulgado pelo então secretário, em sua conta no Twitter, o vídeo contém trechos que remetem a um discurso do ministro da Propaganda nazista, Joseph Goebbels.

No vídeo, o secretário fala sobre o lançamento do Prêmio Nacional das Artes e sobre o que seria o ideal artístico para a pasta. Como música de fundo, o secretário escolheu uma ópera do compositor alemão Richard Wagner, o preferido do líder nazista Adolph Hitler.

 


Página 1 / 10

Próximo »

Copyright  - MT HOJE  - Todos os direitos reservados